Ir para o conteúdo

quarta-feira, 21 de fevereiro de 2024

Artigos

Deus passa e nos chama. É arriscado recusar o seu seguimento

O fato de Jesus começar a sua pregação quando a do Batista acaba, é sinal de que terminou a etapa das promessas e de que, com Ele e suas palavras, começa o Reino de Deus e, portanto, a salvação. Também sugere como se tornará explícito, pelo martírio do Batista, que a proclamação do Evangelho não se fará sem dificuldades.
“Evangelho de Deus” – Esta expressão indica principalmente a alegre novidade que surge com Jesus, a saber, o Reino de Deus. Diz São Jerônimo: “Tanto quanto me recordo, nunca ouvi falar do Reino dos Céus lendo a Lei, os profetas e o saltério, mas apenas lendo o Evangelho. O Reino de Deus só foi aberto depois de ter vindo Aquele que disse: ´ O Reino de Deus está dentro de vós’”.
A participação neste Reino exige de todos a conversão, a disposição para receber um novo dom de Deus. “Jesus anuncia o advento do Reino de Deus e convida à conversão, perdoando os pecados de quem se aproxima d´Ele com humilde confiança e dando, assim, início ao ministério de misericórdia, que continuará a exercer até o fim do mundo, especialmente através do sacramento da Reconciliação confiado à sua Igreja” advertia São João Paulo II.
Naquele tempo, os jovens judeus piedosos, que desejavam se aprofundar no conhecimento da Lei de Moisés, procuravam ser admitidos no grupo de um mestre ou rabino. Aqui, é Jesus que chama alguns, os que Ele quer, para serem seus discípulos. Faz esse chamado com autoridade e, os que chama, correspondem. São Jerônimo, que faz comentários vibrantes a esses primeiros capítulos do Evangelho, chamava a atenção, nesta passagem, para a força do olhar de Jesus: “Se não houvesse algo divino no rosto do Salvador, teria sido irracional seguirem uma pessoa que não conheciam. Alguém deixa o pai e vai atrás de uma pessoa em quem não vê nada que seja diferente daquilo que pode ver no pai?”
Aqueles discípulos respondem ao chamado “imediatamente”, abandonando não só o que estavam fazendo, mas todas as coisas. O Evangelho continua atual: Deus passa junto de nós e nos chama: se não Lhe respondermos, corremos o risco de que continue o seu caminho e nós O percamos de vista e da nossa vida.
Certamente Jesus conhecia estes discípulos havia algum tempo. São Marcos coloca o chamado a segui-Lo como o primeiro ato do ministério de Jesus, com o que salienta a colaboração dos discípulos na proclamação do Reino e sublinha que a obra dos apóstolos de Jesus, após a ressurreição, será uma continuação da obra de Cristo.
Deixemo-nos alcançar pela palavra de Cristo, pelo seu chamado a continuar a sua missão, a colaborar com Ele na realização do seu Reino. Se nos convertermos à sua Palavra e acolhermos o seu convite, participaremos da alegria que Ele reserva aos que o seguem e lhe são fiéis.
Por: Dom Milton Kenan Jr

Compartilhe: