Ir para o conteúdo

terça-feira, 16 de abril de 2024

Artigos

DESESPERO

Bom Dia Barretos.
Vejo o desespero tomando conta de algumas pessoas, diante do descalabro que estamos vivendo nos dias atuais. Além da falta de segurança que atinge a todos nós, somos surpreendidos com medidas governamentais que estão gerando duvidas em nosso espirito quanto ao futuro. Estamos procurando combater a fome com programas sociais e não com a criação de novos empregos, combater o desequilíbrio orçamentário com aumento de impostos, taxas e criação de novos tributos em vez de conter as despesas, as escolas públicas orientadas mais a consolidar ideias marxistas que a educar e ensinar as matérias curriculares. As vozes discordantes sendo caladas pelo medo das consequências do autoritarismo e das perseguições que vemos ocorrer diariamente. A tentativa diuturna de desmantelar a estrutura familiar. O jogar os pobres contra os ricos, inclusive com cartilhas sendo distribuídas na rede pública de Brasília onde dizem que toda riqueza é fruto na sua origem de violência, roubo e pilhagem, ou seja, todo rico é ladrão. Estão jogando classes sociais umas contra outras num divisionismo assustador para desagregar de vez a organização social, dentro da proposta “dividir para dominar e perpetuar”. Cartilhas nesse sentido sendo distribuídas nas escolas e frequentemente propondo teses marxistas. Banheiros sendo divididos entre pessoas de sexo e idades diferentes, numa agressão clara aos princípios morais e religiosos de nosso povo. Sem ter esperança de melhoras em pouco tempo, e temendo a escalada do autoritarismo e de desestruturação da família impondo ideologia estranha a nossa formação cristã alimenta o desespero de nosso povo. Medo até de mandar os filhos às escolas, ao ver as escolas criadas pelo último governo, que pregavam educação moral e cívica, que priorizava o respeito aos mais velhos, a nossa obrigação com a pátria ao lado de uma formação religiosa sendo substituídas por escolas pregando o liberalismo, as doutrinas marxistas, a liberação das práticas sexuais e outras distorções que ferem nossas consciências.
Mas o desespero não leva a nada, temos é que redobrar nossa fé intensificar nossas orações e acreditar que mais cedo do que pensamos o Criador poderá vir em nosso socorro e as águas voltarem ao leito do rio.
Bom dia, Barretos

Compartilhe: