segunda-feira, 18 de janeiro de 2021

Artigos

Dai-me de beber

Entramos na terceira semana da quaresma. Estamos quase na metade de nosso caminho de conversão e recomeço de vida. Acho que já podemos nos perguntar se Deus tem visto algo novo em nossos corações. Espero que sim!
Neste domingo, nos é apresentado o Evangelho de São João, capítulo 4, versículos 5 a 42, que relata o encontro de Jesus com a samaritana que estava no poço para tirar água. Neste episódio, Jesus se apresenta como a “água que mata nossa sede”, mas não qualquer sede, mas sim a sede de saber o porque existimos, e logo, nos sacia com uma alegria perene, verdadeira e reservada à eternidade.
Todos nós temos esta sede de saber quais são nossos sonhos, como ser felizes. O problema é que, às vezes, buscamos beber em fontes que não são boas. É triste quando uma pessoa pensa que para ser feliz, se preencher, é necessário se embriagar, se drogar, se prostituir. É triste quando uma pessoa só se sente bem humilhando o outro, comprando sem necessidade ou exibindo uma vida nas redes sociais totalmente falsa. Sejamos sinceros, estes fatos não matam de verdade a sede de felicidade.
O tempo quaresmal é a oportunidade de mudarmos de vida, de encontrar sentido em Deus, em Sua graça. Somente Ele pode nos matar a sede; pode nos preencher o vazio; pode voltar a florir nosso coração. Não procure no mundo, nas coisas, nas pessoas aquilo que só em Deus você encontrará. Do mesmo modo que Jesus se apresentou à samaritana, Ele se apresenta a você. Ele quer te saciar com algo novo que você não encontrará em outro lugar.
Que esta semana nos sirva para refletirmos sobre o que usamos para preencher nossa vida, nossos sonhos, casamento, relacionamentos, amizades, trabalho e vida religiosa. Que possamos ser sinceros consigo próprio. Talvez descubramos que nós mesmos envenenamos nossa alma. Boa e santa quaresma. Deus te abençoe!

Padre Thiago Freitas dos Reis
Pároco da Paróquia Bom Jesus – Barretos

Compartilhe: