Ir para o conteúdo

domingo, 01 de dezembro de 2013

Artigos

Criança estressada pode virar adulto doente

Pesquisa aponta que estresse infantil impacta saúde na vida adulta.
 
Como adultos, passamos diariamente por situações de estresse – maiores ou menores. Elas podem aparecer em diversos lugares, como no trabalho, na rua e até mesmo em casa. Alguns reagem ao estresse com mudanças no humor, e tornam-se pessoas mal humoradas e tristes. Já outros apresentam alterações na saúde psíquica, desenvolvendo doenças como depressão, transtorno de ansiedade, síndrome do pânico, conflitos em relacionamentos ou insônia.
Há, ainda, quem reaja ao estresse por meio de doenças que habitualmente são classificadas como psicossomáticas, como intestino irritável ou certos casos de asma. Também existe um grupo de pessoas que desenvolve doenças vistas, até pouco tempo, como puramente orgânicas, como diabetes, hipertensão e arteriosclerose. Mas por último há aqueles que, sob o peso das mesmas situações de estresse, não adoecem nem física e nem emocionalmente.
Essas diferenças atraíram a atenção do neurobiólogo canadense Michel Meaney, da Universidade McGill, em Montreal (Canadá). Suas pesquisas indicam que as diferentes reações ao estresse são condicionadas na infância. Conflitos familiares constantes, abusos físicos ou sexuais em crianças, uma educação muito severa ou negligência nos cuidados ou na educação que a criança precisa, são fatores que predispõem o futuro adulto a adoecer com mais facilidade, tanto mentalmente como fisicamente. Há um fator genético também envolvido, mas as experiências da infância são determinantes.

Compartilhe: