Ir para o conteúdo

segunda-feira, 22 de abril de 2024

Artigos

Como retornar aos exercícios após infecção pelo COVID?

Olá!

Sabemos que a COVID-19 não é uma infecção limitada apenas ao pulmão e que tem diversas repercussões no organismo. Estudos indicam que até 16% das pessoas apresentam algum tipo de complicação cardíaca. Os danos ao coração independem do grau da doença – mesmo os quadros mais leves podem trazer prejuízos ao sistema cardiovascular. E o problema é que, muitas vezes, essa sequela não dá sintoma e a pessoa só vai sentir suas consequências ao exigir um trabalho extra do sistema cardiovascular. Isso acontece, por exemplo, durante uma atividade física.
Recentemente, a Sociedade Brasileira de Cardiologia lançou uma diretriz para orientar o retorno aos exercícios após a infecção e o documento é taxativo: antes de voltar a praticar qualquer esporte, todo mundo que teve COVID-19 precisa passar por uma avaliação médica. É indicado que todos os recuperados devem realizar ao menos o eletrocardiograma – um exame simples que mede como está a atividade elétrica do coração. Para os casos mais graves ou para aqueles que praticam esportes competitivos, o check-up depois da COVID precisa ser completo – com o teste da esteira, holter e às vezes, até ressonância magnética. Se os exames estiverem ok, está liberado para retornar aos treinamentos.
Para quem foi liberado, é importante pegar leve no começo – não dá para voltar no mesmo ritmo de antes. O retorno precisa ser gradativo e é importante fazer um fortalecimento muscular antes de partir para o treinamento aeróbico – como correr ou andar de bicicleta. Caso esteja tudo bem e o ritmo das atividades está evoluindo bem, é preciso ser reavaliado dois ou três meses após a liberação inicial. Assim, é possível ter certeza que não surgiram novos problemas. Afinal, ainda há muita coisa que não se sabe sobre o vírus e seus efeitos a longo prazo.
Se durante ou após o exercício você sentir muito cansaço e estiver com palpitações, falta de ar ou dor no peito, retorne ao cardiologista. Esses podem ser sinais de que há algo errado no sistema cardiovascular. Para evitar surpresas desagradáveis, o melhor caminho é sempre ter cuidado em dobro.

Um ótimo domingo e até o próximo!

Compartilhe: