Ir para o conteúdo

sexta-feira, 15 de outubro de 2021

Artigos

Comissão Nacional de Animação planeja o processo de escuta, no Brasil, da Assembleia Eclesial da América Latina e Caribe

Representantes do Conselho Episcopal Latino Americano (Celam) realizaram duas reuniões entre nos dias 21 e 22 de abril, com a Comissão Nacional de Animação para traçar os passos sobre o processo de escuta da Igreja no Brasil em preparação à Assembleia Eclesial da América Latina e Caribe.
O objetivo das reuniões, de acordo com o subsecretário de Pastoral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), padre Marcus Barbosa, foi estabelecer os passos para a participação como Igreja no Brasil no processo de construção da Assembleia Eclesial da América Latina e do Caribe. Segundo o subsecretário adjunto de pastoral da CNBB, a Comissão Nacional de Animação tem a missão de animar o envolvimento das comunidades e dioceses, pastorais, organismos e comissões da CNBB num processo de Escuta ao Povo de Deus que caminha no Brasil.
A Assembleia Eclesial da América Latina e do Caribe tem como lema “Somos todos discípulos missionários em saída”. Ela será realizada de 21 a 28 de novembro de 2021, presencialmente no Santuário de Nossa Senhora de Guadalupe, na Cidade do México, e de forma remota em outros lugares da América Latina e do Caribe.
O assessor da Comissão Episcopal Pastoral para a Comunicação da CNBB, padre Tiago Sibula destacou que um dos desafios para um processo de escuta em um país de dimensões continentais como o Brasil é fazê-lo chegar, de fato, às bases da comunidades brasileiras. “Nestas estão nosso povo, objetivo último da Assembleia Eclesial. Desejamos que cada pessoa, em sua localidade, com seus sonhos e esperanças, luzes e sombras, possa compreender, envolver-se e responder ao desejo do Santo Padre, de ser uma assembleia capaz de escutar todas as vozes”, disse.
Outro desafio apontado pelo padre Tiago será o da sistematização do material gerado pela escuta. “Como o processo de escuta pode ser realizado de modo comunitário, temático ou pessoal, iremos fazer uso das estruturas já existentes para responder e corresponder às expectativas desta assembleia”, disse.
Fonte: CNBB

Compartilhe: