segunda-feira, 03 de agosto de 2020

Artigos

COERÊNCIA

Bom Dia Barretos.

Coerência hoje em dia, principalmente em Barretos, é uma raridade. Ser coerente é manter-se fiel aos seus princípios, não deixando duvidas sobre sua conduta e suas intenções. Para entender melhor o conceito de coerência, vou relatar um exemplo de falta de coerência, ou incoerência. Ocorreu recentemente na Câmara Municipal de Barretos. Num curto período de pouco mais de dois meses, os nobres vereadores, interpretando o anseio da nossa população, devolveu a competência de promover a coleta e destinação do lixo bem como varrição das ruas à Prefeitura. O senhor prefeito vetou e os nobres vereadores, que haviam votado por unanimidade o retorno do serviço à Prefeitura, mantiveram o veto, ou seja, desfazendo o que fizeram, o que significa manter o lixo no SAAE.
Incoerência total! E qual a justificativa? Disseram que o senhor prefeito assumiu o compromisso de mandar um projeto de lei nesse sentido. Mas para que um projeto de lei se o serviço já estava devolvido? Era só não manter o veto. Mantido o veto, imediatamente o SAAE renova o contrato com as empresas ate 2.021. Parece até aquela brincadeira: “me engana que eu gosto”. Até o dia de hoje ninguém entendeu o “por que” do lixo ter passado para o SAAE, mas a explicação é muito simples. A prefeitura não tinha mais como prorrogar o contrato com as firmas que prestavam o serviço e passando para o SAAE, o mesmo poderia fazer um contrato emergencial com as empresas como foi feito, e agora, a jogada foi referendada pela Câmara, permitindo que o contrato se estenda até o fim do mandato de sua excelência.
Será que foi o poder de persuassão de sua excelência que mudou o jogo? Será que votaram a primeira vez alienadamente, ou só agora alienados ficaram? É bem verdade que a primeira vez foi por unanimidade e agora, por maioria simples, mas que soa muito estranho, cá pra nós, soa.
A prefeitura continua não repassando ao SAAE o dinheiro para o pagamento do serviço e com isso, o SAAE se torna cada vez mais deficitário, até que um dia, uma voz propõe privatizá-lo e, com isso, o município perde sua autarquia altamente superavitária, que passaria às mãos de especuladores escolhidos a dedo. Golpe de mestre, diriam alguns. Pague para ver, diriam outros.
Estamos a aproximadamente sete meses das eleições, analisem seus candidatos e busquem saber de suas coerências ao longo da vida e tenham uma boa noite.

Bom Dia Barretos.

Compartilhe: