Ir para o conteúdo

sábado, 20 de abril de 2024

Artigos

Cinzas

Do pó viemos e ao pó voltaremos; apesar da beleza da carne, somos pó. Apesar da soberba e arrogância, somos pó. Apesar da majestade e orgulho, somos pó. Apesar da vaidade excessiva, somos pó. Apesar do imensurável amor próprio, somos pó. Apesar do egoísmo, somos pó. Apesar dos pesares, somos pó.

Sim somos pó, que pode adubar a terra com nutrientes, contaminá-la com toxinas, ou não ter significância nenhuma, ser apenas mais uma poeira no universo.

A vida nada mais é que o combustível para acender a chama de nossas almas, transformando em cinzas nossas qualidades e defeitos. Somos responsáveis pelo sucesso ou fracasso de uma terra fértil, somos responsáveis pela colheita que nossos filhos, netos, bisnetos…, um dia irão fazer, pois somos adubo, somos cinza, somos pó!

Erika Borges – Escritora, Professora de Língua Portuguesa e Mediadora de Biblioterapia

Compartilhe: