Ir para o conteúdo

quarta-feira, 21 de fevereiro de 2024

Artigos

Ciência adogmática: mudar as perspectivas ante novas evidências

Nosso desejo é que a Ciência, a Filosofia, a Religião, a Psicologia, entre tantas outras áreas fundamentais do saber humano, prossigam avançando, cada vez mais, na análise do Mundo Espiritual. E que constantemente o façam sob as melhores manifestações de Fraternidade, Amor, Compaixão, Generosidade e de outros elevados sentimentos. Tal atitude só trará progresso e sabedoria aos povos. Devemos pôr abaixo as barreiras, principalmente as mentais, que nos impedem de ascender à dimensão do Espírito. Daí a urgência de se removerem quaisquer dogmas do campo acadêmico, pois ciência adogmática significa mudar as perspectivas ante novas evidências. E os indícios sobre a Vida Eterna sempre estiveram aí e persistem em crescer exponencialmente aos que têm “olhos de ver e ouvidos de ouvir”.
O dr. Raymond Moody, psiquiatra e filósofo norte-americano, em entrevista à Super Rede Boa Vontade de Comunicação (rádio, TV e internet), salienta que os correntes parâmetros racionais precisam ser revistos:
“Acho que o que vai acontecer é que teremos que expandir nossa lógica. Não apenas de uma forma que se revele como queremos, mas, em vez disso, investigar a objeção real que talvez seja a mais séria levantada contra a questão da vida após a morte. Tradicionalmente, a objeção tem sido que ela é ininteligível. Mas acredito muito que podemos trabalhar em cima dessa questão agora, pois o fato de algo ser ininteligível não é mais um obstáculo para a investigação racional. Penso que temos que conduzir um novo sistema de lógica que nos permita pensar logicamente sobre coisas que até agora não fizeram sentido. E, nessas condições, o que encontraremos é que existem aspectos de nossa mente que não sabíamos que tínhamos. A mente tem capacidade plena para computar ou pensar sobre coisas ininteligíveis de uma forma racional, coerente e lógica. (…)
“Portanto, o importante agora é desenvolver meios rigorosamente racionais de investigação que sejam adequados para o tema. E ao criar um novo conjunto de conceitos, com o tempo, poderemos abrir novos caminhos para que a ciência investigue isso”.

 

 

José de Paiva Netto ,
Jornalista, radialista e escritor.
paivanetto@lbv.org.br
www.boavontade.com

Compartilhe: