Ir para o conteúdo

terça-feira, 16 de abril de 2024

Artigos

Chegou as férias!

Mês das férias escolares, mas convivemos com a era da tecnologia, era essa composta por grandes avanços e progressos mais entre muitos benefícios em que ela nos traz também pode ser prejudicial quando mal-usada, por exemplo excessivamente sem limites.
É atualmente uma grande preocupação de muitos psicólogos e médicos, pois as crianças desde muito novas estão frente as telas, por longas horas ocasionando até riscos a saúde.
Sedentarismo, mal desempenho escolar resultam desse excesso na televisão, celulares e vídeo games.
É preciso um olhar cuidadoso dos pais quanto a isso para determinar certos horários visto que a rotina da criança necessita de atividades variadas, saudáveis como contato com a natureza. E as férias vem aí, como oportunidade de resgatarmos as brincadeiras tradicionais (pega pega, amarelinha, bola, elástico, musicas, brincadeiras de faz de conta, contação de histórias) afim das crianças não só ficarem imersas as telas e sim ter socialização com outras crianças, com muita diversão ao ar livre, deixando os dispositivos para momentos curtos ao longo do dia.
De acordo com Piaget, a criança se desenvolve de forma integral nos aspectos cognitivos, afetivos, físico-motores, morais, linguísticos e sociais através de atividades em forma de brincadeira.
Sendo de total importância, a mediação dos adultos para estimular a brincadeira, conduzir ou até mesmo intervir nos conflitos visto que a criança quando muito pequena, tem o egocentrismo em que entende se que o mundo gira em torno apenas dela, não sabendo dividir ou compreender os colegas.
Em contrapartida, a tecnologia tem seus aspectos positivos também, pois nessa era de modernização, temos aplicativos e jogos com conteúdos necessariamente uteis para contribuir com a aprendizagem das crianças de forma lúdica, tomando aproveitamento de fato trazendo vantagens com seu uso.
Desse modo, podemos aproveitar dessas férias com muita diversão e criatividade para ser momentos de descanso para um bom retorno a vida escolar.

 

 

Natália Macedo,
escritora e professora

Compartilhe: