Ir para o conteúdo

quarta-feira, 28 de fevereiro de 2024

Artigos

CARIDADE

A caridade é um dos sentimentos mais nobres que o homem possui. Praticar a caridade é aproximar-se de Deus, é ter compaixão do próximo pelo momento difícil que está atravessando. Mas, tudo em excesso é prejudicial, até o amor em excesso pode causar problemas sérios.
O mesmo ocorre com a caridade. Hoje vivemos num mundo onde até o poder público, se arvora em praticar a caridade, como o bolsa família, auxílio gás e outros penduricalhos. Promovem a explosão social pagando mais a quem tiver mais filhos e outras aberrações em nome da caridade.
Fundos sociais dando cestas básicas, agasalhos, pagando pequenas contas de agua e energia elétrica. Entidades religiosas distribuindo cestas básicas, cobertores, colchões e alimentação para os homens que vivem nas ruas. Esse fenômeno social acabou por gerar uma geração que prefere viver da ajuda alheia que do seu trabalho, esquecendo a mensagem divina “comerá o pão com o suor de seu rosto”. Junte a isto, aqueles que exploram a caridade criando campanhas que lhe trazem frutos, como se promover aos olhos da sociedade ou usando a caridade apenas como alavanca para negócio.
Creio que seria muito mais caridoso promover cursos de capacitação, para permitir que as pessoas trabalhem, sejam produtivas e levem uma vida dentro de seu padrão social. Seria muito mais cristão, ensinar a pescar que ficando a vida toda a dar-lhes o peixe.
Parece-me que hoje a caridade está sendo mais explorada que praticada, com isso gerando uma camada social que reivindica cada vez mais e produz cada vez menos.
Longe de min afastar a ajuda aos necessitados, mas não podemos estimular o ócio, a dependência da ajuda alheia.
Para uma casta hoje falar em trabalho é palavrão, e vão de entidade em entidade pedir ajuda, e as campanhas vão se multiplicando proporcionalmente, inclusive nos meios de comunicação, trazendo um desvio de sua finalidade.
Devemos praticar a caridade, precisamos praticar a caridade, mas para aqueles que necessitam da caridade humana e não daqueles que acomodados acostumaram a viver da caridade alheia. Tudo é uma questão de cultura.

Compartilhe: