Ir para o conteúdo

domingo, 26 de março de 2017

Artigos

BUSCANDO A SERENIDADE

“A língua serena é árvore de vida, e a língua perversa quebra o coração” (Provérbios 15,4).  
 
Permita-me lhe sugerir: o caminho para a serenidade implica contato com o silêncio interior; noutros momentos é bastante oportuno particularizar uma caminhada para contemplar a natureza (e acredito que a Região dos Lagos seja um bom lugar), deixar o celular em casa e ater sua atenção aos sons que apenas ouvir e nada dizer. Silêncio! 
Certamente, mesmo que por um brevíssimo momento de calmaria e introspecção (olhar para dentro de si), busque refletir sobre sua vida, sua confiança, seu desapego, sua aceitação, seu autocontrole. Pois, não raro, nossa atitude é impor coisas aos outros, e note que, quando somos contestados perdemos o controle para a raiva e agirmos de forma autoritária para que a nossa posição valha. 
Sabe, precisamos refletir se nossas atitudes se baseiam na opressão. Isto é o contrário do caminho sereno e calmo que muitos não conseguem trilhar, e que, portanto, lhes escapam a jeito mais rápido e menos estressante para lidar com as diversas situações desafiantes que surgem e surgirão ao longo de nossa existência. É preciso ter confiança, pois precisamos alcançar os nossos objetivos e isso se dará mediante um planejamento; e, tal deve ser pensado serenamente, justamente para atingir a meta almejada. E faz parte da serenidade reservar a nossa capacidade de julgamento. É oportunamente positivo adquirir um pensamento de construção para melhorar a vida e a nossa participação em todas as coisas referentes ao bem comum de todos, e não apenas no que ao refere estritamente ao nosso eu, sem o “nós”. 
 
Carlos Araki – Seminarista

Compartilhe: