Ir para o conteúdo

terça-feira, 09 de agosto de 2022

Artigos

Bê-á-bá da Vida

Ah! Que saudades do meu tempo de infância, onde eu era apenas uma criança tendo como principal tarefa estudar. O tempo foi passando e a inocência se acabando, já não me preocupava só em aprender o bê-á-bá.
O bê-á-bá da vida pouco a pouco foi tirando, o colorido da aquarela, que mesmo depois de crescida continuava a pintar.
Aprendi a duras penas, que muitas vezes não é o azul do céu que vai reinar; aprendi que o ser humano apesar de inteligente, muitas vezes nem parece gente, e isso é mesmo de se envergonhar! Aprendi também que é caindo que se aprende a levantar, e que as rugas, apesar de indesejadas, são algo de que devemos nos orgulhar!
Algumas lições temos que aprender sozinhos, acertando e errando, sem professores pra ensinar. Outras aprendemos seguindo os grandes mestres que se esforçaram e descobriram a fórmula para na vida acertar.
No decorrer do aprendizado, o corpo vai mudando, as pernas se cansando, e a juventude batendo asas para nunca mais voltar, mas dentro de nós sempre existirá um pouco daquela criança, que acreditava em um mundo de conto de fadas e nunca deixou de sonhar…

Erika Borges, cronista e
escritora, autora do livro
Crônicas e Reflexões da Vida
Membro do Coletivo RELIARTES (Rede Literária
Independente e Artes)
Facebook: Crônicas e Reflexões da Vida Erika Borges
Instagram: @erika_borges_cronicas
Youtube: Crônicas e Reflexões da Vida Erika Borges

Compartilhe: