terça-feira, 07 de julho de 2020

Artigos

Aumento nos atendimentos de casos sugestivos ou confirmados de Covid-19 evidencia a necessidade do isolamento e outros cuidados

Como o Hospital São Jorge, que chegou a esvaziar todos os leitos reservados para pacientes para pacientes com suspeita ou confirmação de Covid-19, tanto em enfermaria, como em UTI, chegou ao número mais elevado de pacientes nesta semana, chegando a ter oito pessoas internadas, sendo cinco em UTI? Entre esses internados, pelo menos quatro confirmações da doença que colocou o mundo em estado de pandemia.
Para o médico e diretor do hospital Dr. Jorge Rezeck, um falso sentimento de segurança da população, fez com que o as pessoas se descuidassem mais de medidas como o isolamento físico, fator que, com a chegada de uma frente fria, culminou em um maior número de pacientes com sintomas gripais, que podem ou não ser Covid-19. Mas, apesar de atravessar o maior pico de pacientes desde o primeiro atendimento de um caso do tipo, o profissional diz que o quadro era esperado. “Barretos é uma cidade de referência em nossa região, recebendo muitas pessoas de cidades vizinhas pelos mais diferentes fins, além de contar com o Hospital de Amor, que aumenta a circulação de pessoas de todo o Brasil e que encontram na organização um tratamento contra o câncer que é referência”, diz.
O médico é cauteloso ao falar sobre o que está por vir nas próximas semanas.
Mas, mesmo com a previsão de piora no cenário geral, o profissional também diz que é preciso ter calma neste momento, inclusive as pessoas consideradas no grupo de risco. “Estar no grupo de risco definitivamente não é uma sentença de complicação no quadro caso a pessoa tenha Covid-19. A grande maioria dos pacientes, 80% terão sintomas leves, 20% sintomas mais importantes e 5% insuficiência respiratória. Parece um número de comprometimento pequeno, mas se os casos forem muitos, essas porcentagens também incluirão muitas pessoas”, disse.
Equipe totalmente preparada e agradecimento
Apesar dos desafios enfrentados recentemente, Jorge Rezeck ressalta a importância da equipe. ”O Hospital São Jorge tem 0% de mortalidade por Covid-19 e aevolução dos pacientes internados atualmente vai bem graças a dedicação e competência de uma equipe multiprofissional”, afirma.
Ele diz ter notado, em cada membro da equipe, uma força mental e aprimoramento realmente louváveis. “A Covid-19 exige muito estudo e atualização de protocolos e todos os profissionais têm se dedicado de forma absurda. O Hospital São Jorge tem muito a agradecer a todos desta família que construímos, desde as nossas recepcionistas, que fazem o primeiro contato com o paciente até a equipe de enfermagem, fisioterapeutas, cozinheiras, responsáveis pela limpeza, médicos. Dependemos de todos os nossos colaboradores para oferecer o melhor aos nossos pacientes”, finalizou.
Como são os testes e quando fazer
Swab Nasal – É o teste indicado pelo Instituto Adolfo Lutz e pesquisa a proteína no vírus por meio de material colhido na parte interna do nariz. Ele tem alta sensibilidade e pode ser feito a partir do 3º dia de contágio.
Teste rápido –
É um exame de sangue, que pode ser feito a qualquer hora do dia sem a necessidade de jejum. Ele é extremamente confiável, porém mede os anticorpos e não o vírus, fazendo com que a sua eficácia seja garantida após o 7º ou 8º dia de contágio.

Compartilhe: