Ir para o conteúdo

segunda-feira, 17 de junho de 2024

Artigos

Aprendamos com Jesus como atender as pessoas

No seu primeiro capítulo do evangelho, o evangelista Marcos nos mostra como se desenrolava um dia comum de Jesus. Ele nos apresenta a sua agenda. O dia está distribuído entre várias atividades: participação da vida comunitária na sinagoga (como lemos no domingo passado, Jesus na sinagoga curou o homem pos- suído por um espírito mau), visita à casa de seus amigos Simão e André e cura da sogra de Simão. Quando o sol se põe, ele atende doentes físicos e espirituais, com uma especial alusão aos demônios, aos quais proibia falar. É de se supor que Jesus vá dormir tarde. Apesar disso, madruga e vai para um lugar afastado para orar. Quando os outros descansam, ele vigia, ele cultiva sua morada interior: nela recebe a presença do Abbá e do Espírito e é recebido por eles.
Chama a atenção o fato de Jesus dedicar grande parte do seu tempo para acolher as pessoas que sofriam do corpo e do espírito. Eles são os prediletos de Jesus, os prediletos do Pai, que Ele encarna e manifesta a predileção com obras e palavras.
Quando Pedro pregou aos judeus sobre Jesus, lembrou provavelmente estamissão de Jesus ao dizer: “Ele andou fazendo o bem e curando todos os oprimidos do demônio, porque Deus estava com ele. E nós somos testemunhas de tudo o que ele fez” (Atos 10,38-39).
O cuidado e a atenção para com os doentes é algo inerente à missão dos discípulos de Jesus, e da Igreja. Não se trata de uma “opção”, mas de parte integrante da missão da Igreja, tal como era da missão de Jesus. E esta missão consiste em levar ternura àqueles que sofrem.
Na casa de Simão, Jesus cura a sua sogra. Diz o evangelista que Jesus “se aproximou, segurou sua mão e ajudou-a a levantar-se”. São gestos de extrema delicadeza. Com esta atitude Jesus ensina que o único modo de olhar alguém de cima para baixo é quando estendemos a mão para a ajudar a levantar-se. Assim Jesus manifestou o seu senhorio. Ele não ficou à distância, mas debruçou-se, estendeu a mão e ajudou a levantar. Três atitudes que revelam bem o jeito de Jesus: proximidade, ternura e compaixão.
Hoje Jesus nos convida a aprender com ele. Muitas pessoas que conhecemos, que sofrem, não esperam por grandes explicações, mas por gestos como os de Jesus. Esperam por alguém que dedique alguns minutos do seu dia para escutá-las, para fazer-lhes companhia, alguém que seja capaz de ouvi-las e compreendê-las.
Aprendamos com Jesus, inspiremo-nos no seu exemplo, tornemo-nos “bons sa- maritanos”, como Ele que se debruça sobre nossas enfer- midades, trata delas e cuida com carinho de nossos sofrimentos.

(Por: Dom Milton Kenan Jr)

Compartilhe: