Ir para o conteúdo

quinta-feira, 30 de maio de 2024

Artigos

Anunciados os nomes dos Presidentes das Comissões Episcopais de Pastoral do Regional Sul 1 da CNBB

A Comissão Episcopal Representativa do Regional Sul 1 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) se reuniu no dia 22, na sede da entidade, na capital paulista, e anunciou, para o próximo quadriênio (2019-2023), os nomes dos Presidentes das Comissões Episcopais de Pastoral do Regional Sul 1 da CNBB, que são os presidentes das Províncias Eclesiásticas do Estado. Eis os nomes, como segue:
1. Ecumenismo e Diálogo Inter-religioso: Cardeal Dom Odilo Pedro Scherer (Província de São Paulo: SP I);
2. Ministérios Ordenados e a Vida Consagrada: Dom Moacir Silva (Província de Ribeirão Preto: RP I);
3. Laicato, Vida e Família: Dom João Bosco Barbosa de Souza (Província de São Paulo: SP II);
4. Ação Missionária e Cooperação intereclesial: Dom José Carlos Chacorowski (Província de Aparecida);
5. Animação Bíblico-catequética: Dom Milton Kenan Júnior (Província de Ribeirão Preto: RP II);
6. Liturgia: Dom Eduardo Malaspina (Província de Campinas);
7. Ação Sócio-transformadora: Dom Júlio Endi Akamine (Província de Sorocaba);
8. Cultura, Educação, Comunicação Social: Dom Benedito Gonçalves dos Santos (Província de Botucatu);
Todos os citados estiveram presentes na reunião. Estiveram também o presidente do Regional Sul 1 da CNBB, Dom Pedro Luiz Stringhini, o vice-presidente, Dom Edmilson Amador Caetano, o secretário regional, Dom Luiz Carlos Dias e o secretário executivo, padre João Carlos Deschamps.
Segundo o bispo-auxiliar de São Paulo e secretário do Regional Sul 1, Dom Luiz Carlos Dias, na reunião os bispos fizeram um balanço da última Assembleia dos Bispos do Regional Sul 1 da CNBB, em junho passado. Também sugeriram o tema da próxima Assembleia das Igrejas que será realizada em outubro próximo, na cidade de Aparecida. O tema se desenvolverá a partir das Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora, enfocando a ideia central do objetivo geral, na expressão Comunidades eclesiais missionárias, e o relacionamento entre cultura urbana e evangelização.

Compartilhe: