Ir para o conteúdo

quarta-feira, 25 de maio de 2022

Artigos

Ansiedade Infantil: quando devemos nos preocupar?

Dificuldade de interagir com outras crianças, medo de ir à escola, de ficar sozinho, choro na hora de ir para a escola, de fazer a tarefa, quando tem prova. Falta de sono por várias noites, se recusa brincar, busca se isolar, ficando sozinho por mais tempo. Certamente os pais já se depararam com situações assim.
Em alguns momentos, esses tipos de situações são bem comuns para as crianças. Mas, quando situações como essas se tornam frequentes e intensas, é possível que a ansiedade infantil esteja se manifestando e nesse momento é hora de ligar o alerta!
A ansiedade por si só, não é um sentimento ruim, tanto para adultos quanto para crianças, pois é normal ficarmos ansiosos por algumas situações. A ansiedade passa a ser prejudicial, como dissemos, quando impede que as crianças realizem tarefas bem simples, como comer, brincar e estudar.
Como mencionamos, a ansiedade, quando intensa, pode prejudicar bastante o dia-a-dia da criança, sobretudo o desempenho escolar. Se seu filho percebe o mundo como um lugar perigoso, ficando em alerta constantemente, por exemplo, fique atento. É preciso tomar providências precocemente para evitar que a situação se agrave.
É importante salientar que o diagnóstico de ansiedade infantil é fornecido por profissionais da área da saúde. Por isso, é imprescindível buscar ajuda médica quando as situações de angústias, preocupações e medos se tornam exagerados e com duração prolongada.

 

Luciana Maria Depieri Branco
Neurocientista
SBNeC n° 16253
www.reabilitacaomultimidia.com.br

 

Contato Ginástica para o Cérebro: Hospital São Jorge (17) 3321-5050

Compartilhe: