Ir para o conteúdo

segunda-feira, 04 de março de 2024

Artigos

ANO VOCACIONAL: AMAR E SERVIR

“Criado para louvar, reverenciar e servir a Deus, Nosso Senhor” (Exercícios Espirituais de Santo Inácio, n. 23), o ser humano é chamado a responder à sua vocação orientando a sua existência para uma relação vital com o seu Criador. A confiança vocacional de que “fomos feitos para Ele e inquietos estarão os nossos corações enquanto não repousarmos nele” (Santo Agostinho), coloca-nos em uma atitude de atenção amorosa para responder ao chamado e renovar o sim de cada dia.
No encontro cotidiano do “Criador com a sua criatura” a pessoa experimenta o sentido mais profundo de sua vocação, que é ser filho amado de Deus. É do coração do Pai que se recebe o dom dessa vocação que traz a verdadeira paz e impulsiona o ser humano a encontrar o seu lugar na Igreja e no mundo. Essa experiência filial revela o chamado universal à santidade e compromete o coração humano a uma resposta vocacional repleta de gratidão, amor e serviço.
Uma vez alcançados pela voz do Bom Pastor, não podemos deixar de escutar, discernir e responder ao chamado, nem de assumir a tarefa de colaborar com a graça da vocação recebida, como fizeram tantas pessoas na Bíblia, na vida da Igreja e no mundo. Mas vale a pena notar que, no drama da liberdade humana, também é possível recusar a chamada. Neste sentido, quando por alguma razão o ser humano resiste à vontade divina, a sua vocação parece triste, vazia e superficial por não dar a resposta que o faz verdadeiramente feliz.
Somente vivendo a aventura espiritual e humana de amar e servir, princípio e fundamento de toda vocação, tornamo-nos capazes de responder ao chamado. A maravilhosa descoberta de que fomos criados por amor e para amar a Deus e aos irmãos, leva-nos a uma resposta grata, confiante e alegre de seguir a Jesus, amando e servindo aos demais e fazendo da vida uma resposta vocacional, na qual o projeto de Deus se realiza.

 

 

(Por: Pe. Edson Tomé Pacheco Silva,SJ)

Compartilhe: