Ir para o conteúdo

sexta-feira, 12 de julho de 2024

Artigos

Amor e Sexo

Quem não deseja ou já desejou encontrar um verdadeiro amor? – Para muitos, é uma tarefa árdua: encontros, desencontros, alegrias, decepções.

É lógico que Deus quer nossa felicidade, mas tem que ser segundo as normas d´Ele, e não segundo nossos “achismos”. O mundo oferece prazeres vazios, efêmeros e prejudiciais. Não estamos dizendo que esses ambientes são apenas as igrejas. Podemos sair à noite, ir a festas, baladas, viajar com o grupo da escola, estar em happy hours, mas com a convicção de quem somos e o que Deus quer de cada um.

A sociedade, com suas mídias e redes sociais, vende imagens distorcidas sobre o amor, o sexo, a sexualidade, e coloca os valores cristãos como antiquados e fora de moda.

“A mim tudo é permitido, mas nem tudo me convém (…) não me deixarei dominar por coisa alguma. Porventura ignorais que vossos corpos são membros de Cristo? (…) quem pratica imoralidade sexual peca contra seu próprio corpo. Acaso ignorais que o vosso corpo é templo do Espírito Santo que mora em vós e que recebestes de Deus?” (1Coríntios 6,12.15.18-19).

É comum ouvir que desejo sexual é um instinto, mas isso é verdade em relação aos animais. O ser humano se diferencia dos animais por causa de sua Consciência, criado à imagem e semelhança de Deus, que não coloca a sexualidade ou a sensualidade como coisas erradas, mas abençoa apenas o Matrimônio entre homem e mulher, para que se amem, tenham filhos e os deem para Ele no Batismo, porque quer todos os seres humanos como seus filhos adotivos.

O ser humano é um ser sexual, mas também é afetivo e emocional. A sexualidade saudável passa pelo amor: quem já vivenciou o verdadeiro amor, o amor de Deus, não se sujeita às misérias que o mundo oferece. Saber esperar tem os seus motivos e suas recompensas.

A sexualidade não é algo para se envergonhar e, quando orientada pelo olhar cristão, é valorizada, compartilhada e adquire um novo sentido. “Por isso, o homem deixará pai e mãe e se unirá à sua mulher, e os dois formarão uma só carne” (Mateus 19,5). Mas quando se realiza de forma irresponsável, traz danos físicos e emocionais.

As pessoas que procuram sexo sem amar, vivenciam uma mentira, pois a proximidade dos corpos não corresponde à proximidade dos seus corações.

CASTIDADE é um ato de maturidade. Indica que a pessoa não é escrava de “instintos animalescos”; mas que possui autodisciplina. Saber esperar o tempo certo não é dizer um “não” e viver num regime de proibições. É dizer “sim” à vida, ao amor, ao compromisso.

Na visão cristã, a castidade não é falta de estima pela sexualidade humana, mas uma energia espiritual que sabe defender o amor dos perigos do egoísmo (Setor Juventude, CNBB).

Compartilhe: