Ir para o conteúdo

domingo, 21 de julho de 2024

Artigos

Amanhã é o 23º aniversário da Dedicação da Catedral de Barretos

A Dedicação da Catedral do Divino Espírito Santo de Barretos, igreja-mãe da Diocese, deu-se em 2000, sob o bispado de Dom Pedro Fré, em celebração solene com todos os seus ritos, e a Santa Missa concelebrada com todo o clero.
A festa da Dedicação de um templo – seja de catedrais ou de outras igrejas que venham a ser aprovadas para esta cerimônia especial de consagração – remonta ao Antigo Testamento. Entre os anos 167-164 a.C., a Palestina e Jerusalém, sob o domínio grego, sofreram grandes destruições promovidas pelo tirano da época, chamado Antíoco Epifanes. O Templo de Jerusalém, o local mais sagrado dos judeus, foi impiedosamente profanado, com todas as suas riquezas roubadas, e tudo com muita violência, e nele implantado o culto a deuses pagãos (1Macabeus, cap. 1). Com a revolta e vitória dos Macabeus sobre esses dominadores, foi promovida a restauração e a consagração do Templo, com muitos dias de festa e louvores (1Mc 4). E se determinou que, daí em diante, todos os anos essa dedicação do Templo ao verdadeiro Deus deveria ser festejada.
A tradição e seu sentido permanecem: “Do mesmo modo, vocês também, como pedras vivas, vão entrando na construção do templo espiritual, formando um sacerdócio santo, destinado a oferecer sacrifícios espirituais que Deus aceita por meio de Jesus Cristo” (1Pd 2,5).
Em vista de amanhã à tarde, na Catedral, já ser a celebração dominical, a festa da Dedicação é antecipada para hoje, dia 17, com missa a ser presidida por Dom Milton, às 19h30.

Compartilhe: