Ir para o conteúdo

domingo, 21 de julho de 2024

Artigos

Alívio no fim da viagem

Eu também já me assustei muito com uma forte turbulência certa vez numa viagem de avião, e mesmo com cintos de segurança a trepidação foi tanta que todos éramos sacudidos para o alto e para baixo em nossas poltronas. É assustador! Lá em cima é difícil não pensar em insegurança, medo de que algo dê errado. Notícias de quedas de aviões e helicópteros, e consequentes tragédias, acabam por poluir nossas mentes com tais assombros. Um avião em viagem internacional, para exemplo, tem uma velocidade de cruzeiro em torno de 850 km/h, a uma altura de no mínimo 3.000 metros. No entanto, se tudo estiver correndo bem, parece até que estamos parados dentro de uma grande sala.
Já o planeta Terra, um globo enorme aparentemente solto no espaço, é uma espaçonave onde também somos todos passageiros, e que viaja contornando o Sol a 108.000 km/h. Não sentimos essa velocidade.
Nessa viagem espacial, quantos medos, angústias, tribulações, violências entre os viajantes e enormes turbulências na vida de cada um, que persistem até o final da viagem! Um grave problema, no avião Terra, é que a maioria dos passageiros o está sabotando, destruindo-o aos poucos. Muitos, porém, nem se dão conta disso, nem se importam.
Nesse caso, felizes são todos os que, em sua fé, creem e confiam em Deus, pois Ele promete só aos que seguirem suas normas, durante a viagem, um alívio inimaginável quando aterrissarem na “terra prometida”, onde haverá uma infinita segurança eterna, sem mais medos, com as alegrias de uma verdadeira paz, livres dos sabotadores.

 

 

(Por: Diácono Lombardi)

Compartilhe: