Ir para o conteúdo

segunda-feira, 24 de junho de 2024

Artigos

Alegria que não passa!

O caminho que nos prepara para celebrar o novo Natal traz consigo o desafio da verdadeira renovação, através da qual, temos a oportunidade de renascer, verdadeiramente, com Cristo. Desta feita já sabemos: o verbo divino se fez homem e habitou entre nós, revelou-nos a Boa Nova do Reino de Deus, foi injustamente acusado e, morrendo na cruz, expiou, definitivamente, todo o pecado; ressuscitado, reabriu, para toda a humanidade, as portas da eternidade. Fazemos memória do nascimento de Jesus por ser ele o Salvador!
Cada uma das quatro semanas que antecedem a solenidade do Natal de Nosso Senhor, e que compõem o tempo do advento, propõe-nos movimentos que exigem, como resposta, atitudes transformadoras, em vista do necessário renascimento. O chamado a atenção e vigilância visam despertar-nos do sono que, com seus tantos nomes, cores e sabores, entorpece-nos, a ponto de perdermos a sensibilidade espiritual, deixando, com isso, de reconhecer Deus presente e vivo.
O chamado à conversão pede de nós respostas efetivas a proposta do Senhor, através da mudança do pensar, sentir, falar e agir, assumindo, definitivamente, como nosso, o estilo de vida de Jesus. Este movimento exige a superação de toda e qualquer superficialidade, devendo brotar das raízes, ou seja, do mais profundo do nosso ser. Como este processo é custoso, faz-se necessário clamar a ação iluminadora do Espírito Santo, a fim de que Ele nos conduza no permanente caminho de restauração.
Á medida em que permitimos que o querer de Deus prevaleça, as maravilhas de Seu amor resplandecem em nós, pois nos tornamos novas criaturas, entre nós, pois as relações humanas são restauradas em Seu amor e, através de nós, pois nossa presença torna-se iluminadora, em todos os espaços e realidades, sobretudo, nas mais desafiadoras. Consequentemente, experimentamos a verdadeira alegria, que não está sujeita às previsões climáticas, á duração de encontros sociais, que independe de aplausos ou críticas; passamos a viver a alegria que não passa, que vem do Senhor.
Vigilância, conversão e alegria são pressupostos tanto ao seguimento fiel de Jesus quanto a uma vida saudável, vivida na consciência, liberdade e responsabilidade, pautada pela maturidade e equilíbrio. Na contramão do tempo do homem, mais uma vez, o Evangelho propõe, para além de simples reforma, verdadeira restauração e transformação, obra que só pode ser realizada pelo Senhor de tudo, naqueles que, verdadeiramente, permitem-se renascer. Só assim faz sentido tanto desejar quanto acolher o Feliz Natal!

 

 

Ivanaldo Mendonça
Padre, Pós-graduado em Psicologia
ivanpsicol@hotmail.com

Compartilhe: