segunda-feira, 26 de outubro de 2020

Artigos

Abraço

Quem um dia imaginava, mesmo em sonho, que a forma mais sincera e pura, de se transmitir amor, carinho, força, alegria, conforto, e mais uma imensidão de sentimentos, fosse proibida, e que se realmente amássemos, deveríamos não abraçar…
Como explicar pra alma e pro coração, que teriam que se privar de tamanho acalento, por tempo indeterminado.
Quanta dor ao lembrar dos abraços que não demos, dos que adiamos, e dos que não quisemos dar. Dor também, por não ter se deixado abraçar, por estar sem tempo, por achar que o gesto era algo sem importância, apenas futilidade momentânea.
Hoje em meio à tantas privações e angústias, vivenciadas por conta da pandemia mundial causada pelo covid-19, daríamos tudo pra receber ou dar um abraço.
Abraçar para acalentar a dor de quem perdeu um ente querido, abraçar pra transmitir segurança, abraçar pra compartilhar alegria, abraçar pra matar a saudade, abraçar só porque é muito bom sentir o calor humano, e no ato de abraçar, também ser abraçado.
Ah…ser abraçado…, que alegria ser envolvido em um misto de amor, carinho, segurança, tranquilidade que acalma e dá conforto em qualquer situação.
Nesse momento, o que nos resta é sermos abraçados pelo Pai celestial, termos fé, coragem e sabedoria, para que em breve possamos abraçar novamente, mas de um jeito diferente, dando o real valor ao entrelaçar dos braços, que sempre foi algo mágico, e que muitas vezes deixamos de enxergar.
Aprendemos à duras penas que nunca devemos deixar pra abraçar amanhã, pois o amanhã pode não existir, o amanhã pode nos privar de muitas coisas.
“Por isso ame mais, abrace mais
Pois não sabemos quanto tempo
Temos pra respirar
Fale mais, ouça mais
Vale a pena lembrar que a vida é
Curta demais…”
(Thiago Brada)

Erika Borges
Cronista

Compartilhe: