Ir para o conteúdo

quinta-feira, 13 de junho de 2024

Artigos

A TRAGÉDIA DO SUL

Bom Dia Barretos.

Estamos acompanhando enternecidos os lances diários da maior tragédia ocorrida no Brasil. As pessoas num piscar de olhos, viram as águas chegarem em suas casas, subirem rapidamente, ameaçando a vida. Ainda bem que abnegados socorristas as recolheram e levaram para os abrigos em segurança. Porém,                                                                                                                                                                                       perderam sua intimidade e passaram a viver em grandes abrigos com pessoas estranhas sem qualquer divisão, dormindo em colchões ou em cadeiras, sem ter tido tempo de levar roupas.

Para completar o cenário do fim do mundo, a chuva não para, o nível do rio continua a subir e a temperatura despenca. A previsão é de que o rio retorne aos níveis normais só no final do mês. A tragédia se completa com falta de água potável, alimentação, e agasalhos os que chegam das doações. E novos abrigos para agasalhar todos os desabrigados.

Mais de uma centena de mortos e outra de desaparecidos. O abastecimento de água e a iluminação pública precários. Membros de uma mesma família acabaram indo para abrigos diferentes e a segurança nos abrigos teve que ser reforçada, por dezena de ocorrências.

Junte se a isto a ação de marginais, que mereciam a prisão perpétua, roubando, saqueando e implantando o terror. Algumas pessoas, mesmo com risco de vida, se negam a sair de casa com medo do roubo desenfreado.

Mas a solidariedade do povo brasileiro se fez presente, e o Brasil abraçou o Rio Grande do Sul, com abundantes doações, quer em mantimentos, colchões, agasalhos, como também pecuniariamente.

Barretos se fez presente e da Minibasílica carretas carregadas de doações foram enviadas ao Sul. Várias instituições iniciaram captação de recursos. Governadores de outros estados cederam militares e helicópteros para ajudar no resgate numa demonstração de solidariedade que refletiu até no exterior, que começaram também a colaborarem.

Dentre todas as campanhas, creio que faltou uma a de uma corrente de orações, porque os desabrigados precisam nessa hora muito da presença de Deus, único capaz de minorar um pouco o sofrimento. Façamos a nossa e peçamos que a misericórdia de Deus se faça presente no difícil momento que travessa o Rio Grande do Sul.

 

BOM DIA BARRETOS

Compartilhe: