Ir para o conteúdo

terça-feira, 21 de março de 2017

Artigos

A SERENIDADE

“Um coração sereno é vida para o corpo, mas a inveja é cárie nos ossos (Provérbios 14,30)”. Tu consideras ser uma pessoa serena?  
Segundo os dicionários, serenidade é uma qualidade ou estado daquele que é ou está sereno; portanto, uma pessoa com tal virtude é alguém que está mansamente situado no meio em que vive, e tranquilamente certo de que está sentindo grande paz em seu interior. 
Ao entender a importância desses sentimentos, sem dúvida alguma, o impacto dos problemas sobre si não serão sentidos com a mesma melancolia que os insensatos, insolentes, mentirosos e oportunistas de plantão sentirão no dia de suas provações, provocações e sofrimentos. Pois, os indivíduos que cultivam a capacidade de saber esperar conseguem, com mais facilidade, atravessar os caminhos da ansiedade, da irritabilidade e da arrogância que levam muitos à perdição. 
Um homem sereno visualiza defeitos alheios como problemas passíveis de superação, e não como defeitos a serem descartados; pelo contrário, ele tem a paciência de ensinar apontando assim caminhos de aprendizado e salvação. Uma mulher serena, não se exalta, mas se vê igual às outras. Aqueles que são inteligentes, jamais se vangloriam e quem cultiva insolentemente a certeza de que é caridoso, de fato, não a possui. Pois, quem é sereno, não ostenta nem mesmo suas virtudes, e sabe que exaltar-se não é bonito. 
A serenidade gera frutos, e que os mesmos aparecem na boa saúde, no bem estar consigo mesmo e com o ambiente em que vive, e, de sobremaneira, tal virtude também influencia a vida dos outros que também são impulsionados a desenvolverem as qualidades que agradam a Deus e aos homens de boa vontade. Então, volto a lhe perguntar: Tu consideras ser uma pessoa serena? 
 
Carlos Araki – Seminarista

Compartilhe: