Ir para o conteúdo

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Artigos

A renúncia a Deus

É importante a atualidade das verdades do Evangelho.
A cada nova reflexão sobre um mesmo texto nós encontramos novidades, e, com freqüência, esclarecimentos para fatos que nos pareciam inexplicáveis só por meio da sabedoria humana.
Tudo o que hoje vemos no mundo, e, especialmente em Barretos, nos ambientes que freqüentamos, as vezes em nossa própria família ou até dentro de casa, já, São Paulo em sua Epístola aos Romanos (1,21ss) explicava com sabedoria sobrenatural.
Vejamos junto esse trecho de São Paulo:… tendo conhecido a Deus não o honraram como Deus, nem lhe renderam graças, pelo contrário, eles se perderam em vãos arrazoados e seu coração insensato ficou nas trevas. Factando-se (vangloriando-se) de possuir a sabedoria, tornaram-se todos e trocaram a glória de Deus incorruptível. Por isso Deus os entregou, segundo o desejo de seus corações a impureza em que eles mesmos desonraram seus corpos. Eles trocaram a verdade de Deus pela mentira e adoraram e serviram à criatura em lugar do Criador, que é bendito pelos séculos…
Por isso Deus os entregou à paixões aviltantes: suas mulheres mudaram as relações naturais por relações contra a natureza, igualmente os homens, deixando a relação natural com a mulher, arderam em desejo uns para com os outros, praticamente torpezas homens com homens e recebendo de si mesmos a paga de sua aberração… E como não julgaram bom ter o conhecimento de Deus, Deus os entregou à sua mente incapaz de julgar para fazerem o que não presta… Apesar de conhecerem a sentença de Deus, que declara dignos de morte os que praticam semelhantes ações, elas não só as fazem, mas ainda aplaudem os que as praticam.
Profundo… e pesado!
É isso, caros amigos e leitores, tudo o que de mal vemos são conseqüência, do afastamento e da renuncia a Deus. Se todos que conhecem a Deus um dia deixam de honrar e de lhe render graças, passam ao marasmo, à confusão, à vida difícil, de trevas, só de pecado.
Todas as aberrações que observamos no mundo são conseqüência da renúncia à Deus.
Diante de tanto mal – que sabemos existir a nossa postura de seguidores de Cristo deve ser de oração e súplica ao Senhor, para que suscite almas piedosas que possam, pela sua ação e em seu nome, testemunhar vivências puras e de amor, para ressuscitar nas almas – em pecados maiores – a pureza e o amor.

Compartilhe: