Ir para o conteúdo

sábado, 15 de junho de 2024

Artigos

A importância dos investimentos em esportes através de políticas públicas

Políticas públicas são ações e medidas implementadas pelo governo para atender às demandas e necessidades da sociedade. No contexto esportivo, essas políticas visam promover o desenvolvimento, a inclusão e o acesso à prática esportiva para todos os cidadãos. O Brasil, como país de dimensões continentais e uma paixão nacional pelo esporte, tem muito a ganhar ao investir em políticas públicas voltadas para essa área.
Essas políticas não apenas promovem a saúde e o combate ao sedentarismo, mas também proporcionam momentos de lazer e recreação para a população. O esporte é uma ferramenta poderosa para a promoção de hábitos saudáveis, ajudando a prevenir doenças e reduzir os custos com tratamentos médicos.
A prática esportiva contribui para a percepção positiva do uso dos impostos, uma vez que os cidadãos podem ver os recursos sendo empregados em benefício da sociedade.
Outro aspecto importante do investimento no esporte é a construção de espaços públicos acessíveis, como quadras, pistas de atletismo, piscinas e parques. Esses locais proporcionam oportunidades para que cidadãos de diferentes perfis socioeconômicos possam se envolver em atividades esportivas, fortalecendo o senso de comunidade e inclusão social.
A relação entre o esporte e a propaganda política remonta à história. Desde os Jogos Olímpicos da Grécia Antiga até os eventos esportivos contemporâneos, o esporte tem sido usado como uma forma de promover a imagem política de um país, difundir ideais e projetar poder. Grandes eventos esportivos podem influenciar a percepção de um país e sua imagem internacional. O Brasil, por exemplo, sediou a Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016, que serviram como vitrines para a cultura, a diversidade e as belezas naturais do país.
Atletas brasileiros de destaque, como a tenista Beatriz “Bia” Haddad, semifinalista de Roland Garros, reforçam o espírito esportivo nacional. O sucesso de atletas em competições internacionais contribui para o orgulho do país e inspira novas gerações a se envolverem no esporte.
Atualmente, existem canais estabelecidos para fomentar o esporte no Brasil. Recursos provenientes de loterias, como a Mega-sena, a Lotofácil e a Quina, são destinados ao financiamento de projetos esportivos. O Comitê Olímpico do Brasil (COB) e o Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) são beneficiados com recursos provenientes das loterias. Em 2020, a Lei das Loterias destinou R$ 292,5 milhões ao COB e R$ 163,1 milhões ao CPB [1] para apoiar atletas de alto rendimento, financiar treinamentos, competições e infraestrutura esportiva.
Além disso, o programa Bolsa Atleta é um dos maiores projetos de repasse de verbas diretas para os atletas, auxiliando no custeio de treinamentos, competições e necessidades básicas. No entanto, é necessário ser ampliado, pois há um número muito grande de atletas no país.
Outra importante ferramenta é a Lei de Incentivo ao Esporte, que permite que empresas invistam parte do valor devido em impostos em projetos esportivos, tendo um papel fundamental no suporte aos atletas de alto rendimento, ao financiar treinamentos, competições e infraestrutura esportiva.
O esporte desempenha um papel significativo como fator de ascensão social. Através do esporte, jovens talentosos vindos de comunidades carentes podem ter a oportunidade de desenvolver seus potenciais e conquistar uma melhor qualidade de vida.
Iniciativas que promovem o esporte em áreas de vulnerabilidade social podem criar um ambiente propício para a formação de cidadãos conscientes, disciplinados e comprometidos, oferecendo uma alternativa saudável e construtiva para jovens que, de outra forma, poderiam estar expostos a influências negativas.

 

 

Raphael Dutra
Advogado, empresário e
ex-vereador de Barretos (SP) (2017/2020).
Cursando Mestrado
Profissional de Gestão e
Políticas Públicas pela FGV
Cursando MBA de Gestão
de Cidades pela USP

Compartilhe: