Ir para o conteúdo

domingo, 15 de setembro de 2013

Artigos

A GRAÇA

Depois de procurar estudar, rezar durante muitos anos, para melhorar meus conhecimentos sobre Jesus Cristo, aumentar a minha resistência ao pecado e melhorar a minha capacidade para falar e escrever sobre o Seu Evangelho, pude, realmente, compreender melhor a minha fragilidade diante de Deus Todo Poderoso e ter a convicção de que sem Ele, nada posso; nada sou!
De fato, em 2 Cor. 12,9 temos "Basta-te minha graça, porque é na fraqueza que se revela totalmente minha força". O autor espiritual  Carlos Carreto, esclarece um pouco sobre a maneira como Deus pode estar lidando conosco, em seu livro "Cartas do Deserto".
"Às vezes, deus nos faz sentir os limites extremos de nossa impotência; só, então, somos capazes de compreender a fundo nossa nulidade".
Durante muitos anos, anos demais, lutei contra minha impotência, minha fraqueza, Muitas vezes recusei-me a admití-lo para mim mesmo, preferindo aparecer em público sob uma conveniente máscara de auto-confiança.
É o orgulho que nos impede de admitir tal fragilidade; é o orgulho que nos impede de aceitar nossa inadequação. Deus fez-me entender isso, pouco a pouco.
Agora, não luto mais. Tento me aceitar. Tento me ver sem ilusões, sonhos ou fantasias. Acredito que esteja dando um passo à frente. Se eu tivesse dado esse passo enquanto aprendia o "catecismo", teria ganho muitos anos.
Agora, compare a minha fragilidade, com a potencia de Deus; a minha pilha de pecados, com Sua total misericórdia. Coloco, então, o abismo da minha pequenez debaixo do abismo de Sua grandeza.
Parece que agora descobri uma maneira de encontrar com Ele, o que jamais havia alcançado antes; "uma união que jamais havia experimentado e uma consciência de Seu amor, que jamais havia sentido. Sim, é realmente a minha infelicidade, que atrai a Sua força; são minhas feridas que chamam por Ele; minha nulidade, que O faz se abrir pra mim".
Aprendamos a por a nossa confiança, não em nós mesmos, mas em Deus, que nos ama como filhos e que visa, o tempo todo, a nossa felicidade.

Compartilhe: