Ir para o conteúdo

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Artigos

A GANÂNCIA

Um cristão ganancioso é uma dessas contradições difíceis de entender, jamais possível de justificar, e que infelizmente existe aos milhões.
A ganância é uma das piores escravidões, pois é insaciável. Em sua fome e sede de ter mais, ignora a justiça, despreza o perdão, devora amizades desconhece parêntese até familiares próximos. Tudo sacrifica ao “deus dinheiro”.
Esse “ deus dinheiro” pode ter muitos nomes: poder ser aquela casa a mais, aquele terreno a mais, aquele carro a mais, até aquela roupa a mais, – com muito freqüência desnecessário ao ganancioso-, mas que os quebra qualquer custo.
O cristão escravo da ganância chega ao absurdo de processar alguém, um irmão de fé, cristão como ele; chega ao incompreensível absurdo de arrastar aos tribunais parentes e amigos, por alguns metros a mais de terra pela satisfação intima de dizer: “eu tenho!…”
Um dos quadros mais tristes deve se ver, é a presença de dois cristãos sentados no mesmo banco de uma igreja, participando da mesma oração, e disputando odiosamente riquezas materiais.
E será que não valem também para nós, – e talvez mais para nós, responsáveis por essa reflexão-, tudo o que hoje escrevemos?
A ganância ignora a justiça de Deus que restabelece a verdade, que leva ao bom senso, que liberta os homens do apego à matéria. A ganância despreza o perdão que abre o coração para o abraço do reencontro, na reconciliação com Deus e com o irmão.
Quando amarmos verdadeiramente a Deus e ao próximo, não ocorremos mais o risco de nos perdemos tão facilmente nessa terrível fraqueza humana, mas para isso precisamos nos colocar nas mãos do Pai sem reservas, sem receios, e sim de todo coração.

Compartilhe: