Ir para o conteúdo

sábado, 14 de outubro de 2017

Artigos

A força do querer

"Tudo me é permitido, mas nem tudo me convém" (1 Cor 6,12). Ao fazermos um panorama dos escritos de São Paulo, rapidamente percebemos que em suas cartas São Paulo nos coloca frente a muitas passagens marcantes, que falam expressamente aos tempos atuais. Todos sabem que a Palavra de Deus tem algo novo e atual para falar as diversas realidades do mundo. Por isso, em um tempo em que a libertinagem tem sido critério de vida para muitos, Paulo na primeira carta aos Coríntios nos chama atenção para vivermos a verdadeira liberdade.

Apesar de aparentemente poder realizar tudo o que quero ou acho conveniente, Paulo alerta que é preciso discernir e ter clareza do que realmente queremos para nossa vida. A permissividade moderna está enraizada na cultura das novas gerações, há um anseio de fazer tudo, sem medir as consequências. A impressão deixada é que se deseja viver em um dia o que está reservado para a vida.

Por tal interpretação errônea da liberdade que há na cultura atual, acabamos por procurar a felicidade em paliativos humanos. Daí a grande quantidade de jovens e adultos que se afundam nas bebidas, nas drogas e numa vida sexual desregrada. O indivíduo quer tudo, porém não traça um itinerário seguro que o ajudará a viver plenamente feliz, sem a necessidade de passar por falsos momentos de alegrias.

Nessa ânsia de querer tudo e querer para já, acabamos escavando os próprios medos, solidão, fracassos, tristezas e decepções e não vivendo intensamente cada fase da vida.

Paulo alerta para a falta da capacidade que muitas vezes temos de decidir o que é bom ou não para a própria vida. Ora, a vida nos cobra que decidamos entre o que posso fazer e aquilo que devo fazer. Podemos tudo, porém nem tudo nos fará felizes. Assim, avaliar as atitudes, ser sensato, ter prudência, meditar e rezar se tornam o melhor critério para saber escolher o melhor. O caminho é deixar Deus escolher conosco nossos caminhos.

Diego Mendes

Seminarista

Compartilhe: