Ir para o conteúdo

quinta-feira, 30 de março de 2017

Artigos

A FÉ NOS ENSINA A CONVIVER

A fé não pode nos fazer brigar com as pessoas, humilhando-as, excluindo-as ou rotulando-as como inferiores, mas deve nos levar a compreender que elas podem ser diferentes de nós. Apesar de nos revelar a cidadania celeste, ela também não nos afasta do mundo, mas nos ensina que devemos utilizar as coisas que passam para alcançar as que não passam.
O respeito pelo outro, independente de qual seja sua crença ou condição, está na base do mandamento do amor ao próximo e é cartão de visita de pessoas que têm uma fé madura. Por isso, não devemos esculachar alguém porque vê o mundo com uma lente diferente da nossa, porque não crê ou crê diferente de nós.
Não que devamos ser apáticos ou ingênuos e aceitar que tudo que se relaciona à fé seja a mesma coisa, como se ela fosse uma ideologia em que cada um cria a sua a seu bel prazer, pois acreditar exige reflexão séria e madura. Porém, a defesa da fé, muitas vezes, exige a sensatez do silêncio, a força do testemunho e o argumento imbatível da caridade. 
Ao encontrar-se com uma samaritana, alguém que cria diferente, Jesus a acolheu com ternura. Colocou-se em seu lugar, sentindo sua dor e fazendo morada em seu coração. Soube ouvi-la, antes de julgá-la. Acreditou na sua mudança ao preparar, por meio do diálogo, terreno para ver o mundo com outros olhos. Como você convive com quem acredita diferente? Saber conviver é uma arte cujo pincel do respeito dá o tom da delicadeza e segurança da nossa fé. Quem tem fé sólida e esclarecida não se aprisiona em preconceitos, mas constrói pontes ao invés de muros.
 
Padre Emerson Manoel da Silva
Padre, psicólogo, pós-graduando em terapia de casal e família

Compartilhe: