terça-feira, 01 de dezembro de 2020

Artigos

A escolha é nossa: Empatia, Desprezo ou Apatia

Empatia é uma palavra derivada do grego “empatheia”, que significa paixão, sendo definida como a capacidade de imaginar-se, colocar-se no lugar de outra pessoa, de modo a compreender o que ela sente. Já desprezo, é o contrário de empatia, e apatia, significa não manifestar sua opinião nem sentimentos, manter-se frio perante às situações.
Segundo Martin Luther King:
“O que me preocupa não é o grito dos maus, mas sim o silêncio dos bons”. Quanta sabedoria em uma frase, pois não há mérito nenhum em não ser bom nem mau.
O egoísmo, a falta de empatia, a inveja, sempre existiram, e a bíblia nos mostra que desde os primórdios do mundo, vivíamos em uma constante guerra, onde Caim mata Abel, reforçando assim a famosa frase do pensador Thomas Hobbes, que diz:
“O homem é o lobo do homem”. Mas será que terá que ser sempre assim? Não podemos fazer diferente?
Seria utopia demais, devaneio demais, imaginar que podemos sim ser empáticos, e que isso nos trará uma recompensa enorme pra alma? Está escrito em Matheus 7:2:
“Pois com o critério com que jugardes, sereis julgados, e com a medida que usardes para medir os outros, igualmente medirão a vós”.
Não é preciso ser um grande teólogo ou filósofo, para compreender ao pé da letra, ou melhor dizendo “ao pé da vida”, todas essas citações, pois um agricultor, um jardineiro, ou qualquer outra pessoa sabe que se plantar arroz não nascerá feijão, se plantar rosa, não nascerá cravo.
Assim também é a vida, se não conseguirmos cultivar a empatia e sermos empáticos, raramente ela brotará no coração das pessoas, e consequentemente não serão empáticas conosco. Temos que começar a plantar as boas sementes para que o mundo não se torne um enorme canteiro repleto de desprezo e apatia, sufocando aos poucos as sementes da virtude.
Ainda há tempo de mudar, pensemos bem em qual mundo queremos pra nós, para nossos filhos e netos. Saibamos selecionar as boas sementes e plantá-las primeiro em nosso coração, para que floresçam e sejam exemplos de belos buquês, com o quais poderemos sim fazer um mundo melhor.

Erika Borges
Cronista e escritora no Crônicas e Reflexões da Vida, no
facebook

Compartilhe: