Ir para o conteúdo

sábado, 15 de junho de 2024

Artigos

A conversão de Paulo foi radical para ele e para o Cristianismo

A conversão de Paulo não só mudou radicalmente a sua vida, mas também marcou o início de uma profunda transformação do cristianismo. Paulo, de judeu observante, se torna cristão; de fariseu, se torna místico; de perseguidor de cristãos, se torna o maior evangelizador de todos os tempos; de rabino, se torna um mestre original da novidade cristã.
O cristianismo, que era um movimento só judaico, ganha dimensões universais. O cristianismo, que inicialmente atingira quase que exclusivamente agricultores e habitantes de pequenas cidades da Palestina, graças ao projeto de Paulo, o cristianismo se torna um movimento urbano. Paulo procura atingir, sobretudo, as grandes cidades, e, nestas cidades, criar pequenas comunidades, tendo como base a “casa”, que, naquela época, no mundo grego e romano, era uma família ampliada, composta por pessoas de várias gerações, de mais de uma classe social, de diferentes estilos de vida.
Paulo nasceu na primeira década do século I, de uma família de judeus observantes. É judeu de Tarso, na Cilícia (At 21,39), da tribo de Benjamin, do partido dos fariseus. Recebeu o nome de Saulo em homenagem ao mais ilustre membro daquela tribo, Saul, o primeiro rei de Israel. Paulo era seu nome como cidadão romano, que ele também era. De profissão, era fabricador de tendas. Foi educado segundo a tradição dos pais, superando muitos de seus concidadãos no estudo e prática do Judaísmo (Gl 1,14). Foi educado em Jerusalém e “formado na escola de Gamaliel nas mais rígidas normas da lei paterna” (At 22,3).
Antes de se converter a Jesus, foi perseguidor dos cristãos (Gl 1,13; 1Cor 15,9; At 8,3). Enquanto se achava a caminho de Damasco com autorização para prender cristãos, encontrou-se com o Cristo ressuscitado, o que o mudou radicalmente, e foi enviado como missionário entre os pagãos. Depois de um retiro e de prolongada preparação, torna-se o apóstolo dos pagãos (At 13,1ss).
Realizou três grandes viagens missionárias; são atribuídas a ele 13 cartas mas, destas, só sete são consideradas autênticas, isto é, de sua autoria direta, as seguintes: 1Ts, Gl, 1 e 2Cor, Rm, Fl e Fm. Essas cartas apresentam o rico panorama de sua vida, atividades, sucessos e projetos.
Preso em Jerusalém, e depois mais dois anos preso em Cesareia, é levado para Roma. O término de sua vida de apóstolo permanece, em grande parte, desconhecido. A tradição, porém, atesta que ele morreu em Roma, durante a perseguição de Nero, onde foi sepultado. Sua personalidade e sua teologia são tão importantes que há quem fale de Paulo como de “fundador do cristianismo”.

Fonte: Revista “O Pão Nosso”

Compartilhe: