Ir para o conteúdo

segunda-feira, 14 de junho de 2021

Artigos

A cada um seu lugar

“A vida é o que acontece com a gente enquanto estamos fazendo outros planos”, frase escrita pelo jornalista Allen Saunders, mas cuja autoria comumente é atribuída a John Lennon. Não cabe aqui dizer a obviedade de ser impossível viver sem fazer plano algum. É dádiva apenas humana conseguir caminhar pelo tempo em seus pensamentos, memórias e planos.
O que mais importa talvez seja ponderar a nossa relação com o agora. Pois sabemos que muitos planos naufragam pela contingência da vida e o nosso barquinho afunda junto com o nosso futuro “promissor”. O que fazemos enquanto os planos não acontecem? Como vivemos o sopro da vida, o inesperado e o momento presente? Aí está o seu agora. O agora mora na dor sentida no momento exato do tombo no chão, mora no cheiro gostoso do café pronto, reside na risada solta pelo mais simples motivo. Nesse mundo tão agitado e corrido, o agora é pra poucos. No Brasil onde tudo é incerto principalmente para os mais pobres, dificilmente o futuro não nos preocupa, não nos assalta. Nessa pandemia, estamos vivendo lutos pesadíssimos de pessoas que amamos indo embora rapidamente, e o nosso maior desejo (sem sucesso) é o de conseguir ficar só mais um pouquinho com elas. Eis aí a saudade do agora, de tentar pegar o tempo com as mãos, mas ele não se deixa pegar, pois é líquido e escorregadio.
Alguns planos que fazemos são tão rígidos e carregados de tensão e ansiedade, que mesmo quando se concretizam, não conseguimos relaxar, vivendo o prazer do momento, da conquista. É como comermos uma fruta sem sentir o gosto dela, fenômeno que pode acontecer com os infectados pela covid e com os contaminados pelo excesso de futuro dentro de si.
Enquanto fazemos planos com o celular na mão, o nosso filho está sorrindo para a gente, mas não o vemos. Enquanto estamos pensando no amanhã, com a nossa mente longe, não estamos ouvindo a nossa mãe contar seus causos cotidianos. Enquanto estamos olhando para o chão, o pôr-do-sol tenta em vão chamar a nossa atenção.
Enfim, enquanto fazemos os nossos planos, o agora da vida faz o plano dela sem nos incluir. Só nos resta o agora, então, Carpe Diem (aproveite o dia/colha o dia de hoje), ou como sempre ouvi o meu pai dizendo, “Dênis, vem logo comer antes que esfrie a comida”.

Denis Athanázio
Psicólogo, palestrante,
terapeuta de família e casal.

Compartilhe: