domingo, 09 de agosto de 2020

Artigos

28º Dia Mundial do Enfermo é celebrado em Barretos com missa presidida pelo bispo diocesanobispo diocesano

Dom Milton Kenan Júnior, bispo da Diocese de Barretos, presidiu na manhã de terça-feira (11), 28º Dia Mundial do Enfermo, a Missa da Saúde na Capela Sagrado Coração de Jesus, ao lado do Hospital de Amor de Barretos.
Na homilia, o bispo diocesano lembrou a Festa de Nossa Senhora de Lourdes e que a sua aparição a Santa Bernadete era muito peculiar. “Quando nós olhamos para Nossa Senhora, o que ela quer dizer para nós? (…) No evangelho Deus quer nos dizer que Ele escolhe a fraqueza aos olhos do mundo para manifestar a sua força. Ele poderia ter escolhido uma princesa, uma nobre da época para ser a mãe do Seu Filho. Mas Ele vai procurar a mãe do Seu Filho na desconhecida Nazaré. Vai procurar a mãe de Seu Filho entre as mais humildes no mundo. E a gente pode imaginar o espanto de Maria quando ela entra na casa de Isabel e ela, cheia do Espírito Santo, vai dizer ‘bendita és tu entre as mulheres… Bendito é o Fruto do teu ventre!’. (…) Com isso, Maria quer nos dizer que Deus escolhe sempre aquilo que é fraco aos olhos dos homens para manifestar a sua força. E quando ouvimos o Hino de Maria, quando ela glorifica o Senhor, ela diz que Deus está sempre perto daquele que sofre. No momento do sofrimento a gente, às vezes, tem a sensação, pra não dizer a tentação, de pensar que Deus se esqueceu da gente. No momento da dor e sofrimento a gente tem a tentação de pensar que Deus nos castiga, quando na verdade o sofrimento faz parte da nossa existência. (…) Quando nós sofremos nos damos conta do quanto somos pequeninos e o quanto precisamos da graça de Deus, da força do Alto. (…) E quando sofremos é justamente quando Deus está perto de nós porque Ele também experimentou em Jesus o sofrimento, a solidão, e sofria por causa de nossos pecados! É o que Maria nos diz e lembra. (…) E Ele está sempre disposto a nos socorrer tanto é que vai suscitando gente que faz as vezes dele”, destacou Dom Milton que ressaltou o trabalho realizado pelo Hospital de Amor nas pessoas dos médicos, enfermeiros, religiosos e funcionários que trabalham para socorrer os necessitados.
Após a homilia, o bispo diocesano, junto aos padres Tulio Gambarato – capelão da Fundação Pio XII, Ronaldo Candido – capelão da Santa Casa de Misericórdia de Barretos e Francisco Silva – capelão do Hospital São Judas de Barretos, realizou a Unção dos Enfermos.

Compartilhe: