Ir para o conteúdo

sábado, 27 de fevereiro de 2021

Notícias

Professora cai em golpe e perde mais de 50 mil em depósitos bancários

Uma senhora de 67 anos, professora, foi até a delegacia e informou que ela recebeu uma mensagem no WhatsApp de uma pessoa que dizia ser o seu filho e ele informou que havia mudado o número do seu telefone e que precisava de dinheiro para pagar a instalação da maca hidráulica no consultório médico.
Acreditando que se tratava de seu filho, a vítima fez uma transferência bancária em nome de “Kamylla Fernandes Mendes” no valor de R$3.980,00.
Em seguida “seu filho” passou mensagem alegando que tinha errado e que tinha que pagar a maca e solicitou uma transferência no valor de R$5.000,00 para “João Fernandes Rodrigues”, o que foi feito pela vítima que em seguida realizou um terceiro depósito, também para “João”, no valor de R$3.392,00.
Também foram realizadas outras transferências por parte da vítima que totalizaram R$19.900,00, momento em que o estelionatário fez um DOC para a conta da vítima no valor de R$29.900,00, “pagando” o que a vítima tinha transferido, mas depois alegou que errou ao passar uma quantia a mais, ocasião em que a vítima fez outra transferência, no valor de R$10.000,00, acreditando ter ficado tudo acertado entre ela e o “filho”.
Já na última mensagem que a vítima recebeu daquele número, o estelionatário, novamente se passando por seu filho, disse que havia trocado a caminhonete e que faltava R$15.000,00 para ele pegar um carro.
A vítima fez uma transferência nesse valor para “Aline Soares Amorim” e depois fez outro depósito na mesma conta no valor de R$7.000,00, sendo pedido um depósito para “Carlos Souza Soares” valor R$8.920,00, mas a vítima não conseguiu realizar.
No dia seguinte, a vítima entrou em contato com seu banco perguntando do DOC, no valor de R$29.000,00 que não havia sido creditado em sua conta e afirmou que entraria um DOC de R$15.000,00 no dia seguinte, mas foi respondido que o DOC demora dois dias ou mais para cair na conta, e então a vítima só foi perceber que não era o seu filho quando enviou uma mensagem a ele e foi verificado que aquele número estava errado.

Compartilhe: