quarta-feira, 08 de julho de 2020

Notícias

Prefeito de Olímpia vai acionar Justiça contra a decisão do Governo Paulista

Número de leitos e casos colocam Olímpia na faixa verde

Após o anúncio da reclassificação da região da bandeira amarela para bandeira vermelha, anunciado pelo Governador de São Paulo, João Doria, o prefeito de Olímpia, Fernando Cunha, divulgou que estará tentando reverter a situação na justiça, para que a cidade de Olímpia seja mantida na fase amarela. De acordo com o prefeito, as medidas estão sob controle em Olímpia, sem ter o uso total dos leitos e com uma boa resposta por parte da população. “Eu queria dizer que o nosso quadro de controle da contaminação de pessoas e capacidade de tratamento em Olímpia, está muito equilibrado. O crescimento da doença é muito pequeno e ninguém precisa ficar apavorado, com poucas internações na UTI da Santa Casa e na enfermaria”, afirmou o prefeito de Olímpia, Fernando Cunha.
Para o prefeito de Olímpia, a reclassificação realizada pelo Governo de São Paulo, de voltar para a Bandeira Vermelha, que determina o fechamento de tudo deixando apenas serviços essenciais em funcionamento, não é correta para a região. “A gente assiste televisão todo dia, verificamos o momento lá de São Paulo e podemos fazer a comparação com o isolamento aqui em Olímpia. Deixar um metrô funcionando lotado, ninguém tem coragem de parar, ao contrário do que fizemos aqui com o fechamento dos termas. É uma decisão desmedida e desequilibrada essa comparação que estão fazendo com esses critérios, mas temos as nossas dúvidas sobre essa validade aqui para a região”, afirmou Cunha.
De acordo com o prefeito de Olímpia, a região de Barretos, pelo número de leitos clínicos e de UTI`s, a região deveria estar na fase verde pela infraestrutura e não na vermelha como foi decretado. “Nós vamos respeitar os critérios técnicos do Governo do Estado, mas recalculamos e verificamos que Olímpia estaria na faixa verde e não na vermelha, mas por cautela, entendemos que deveríamos continuar amarela por precaução.
Diante da decisão, vamos entrar com uma medida pedindo uma reclassificação da cidade de Olímpia, e que o Decreto do Governador seja suspenso a partir de terça-feira”, afirmou.

Compartilhe: