Ir para o conteúdo

quarta-feira, 24 de abril de 2024

Notícias

Polícia Civil prende dois homens com documentos falsos em agência bancária no centro de Barretos

Os indiciados tentavam sacar dinheiro de um benefício previdenciário  

Policiais Civis de Barretos apresentaram presos na delegacia os indiciados W.S.M., 40 anos, lavrador e J.C.R., 62 anos, artesão, sendo informado que os policiais foram acionados pelos funcionários de uma agência bancaria situada na Rua 20, centro da cidade, pois lá havia dois indivíduos tentando sacar uma quantia de um benefício previdenciário, entretanto, havia a suspeita de que seus documentos eram falsos e que os homens estariam se passando por outras pessoas para conseguir sacar o valor.

No banco os policiais abordaram os indiciados que buscavam obtenção de um cartão benefício em nome de “Eurípedes Machado”, portando uma cédula de identidade expedida pelo Estado de Minas Gerais em nome dessa pessoa.

Os funcionários do banco informaram ainda que um dos indivíduos se identificava como “Claudinei”, e então após os policiais conversarem com eles brevemente, os dois entraram em contradição por diversas vezes o que motivou as suspeitas, sendo eles levados para a delegacia, onde o indivíduo que se identificava no banco como sendo “Claudinei”, se identificou como “André Fernandes”, apresentando uma carteira de identidade também expedida pelo Estado de Minas Gerais, mas que descobriu-se ser falsa.

Ele ainda trazia consigo uma certidão de nascimento em nome de “Mateus Fernandes Silvestre”, figurando como pai a pessoa de W.S.M., e diante de todo este cenário, os dois confessaram o uso da documentação falsa e que seriam na verdade J.C.R., que se passava por “Eurípedes Machado” e o W.S.M., que se passava por “Claudinei Nogueira” e “André Fernandes”, sendo este egresso do sistema prisional do Estado de Minas Gerais.

Em relato o W.S.M., disse que usava as identidades falsas por temor, pois já foi vítima de tentativa de homicídio, ocasião em que teria sido alvejado com dezesseis disparos de arma de fogo em Minas Gerais.

Os dois homens tiveram suas prisões ratificadas pelo crime de uso de documento falso, sendo ainda informado que no banco o J.C.R., disse que morava em Barretos, em uma casa na Rua Cristal, no bairro Sumaré, contudo, no endereço informado os policiais constataram que reside uma família há mais de três anos e eles alegaram não conhecer o indiciado.

Com o W.S.M., foram encontrados dois telefones celulares, os quais foram apreendidos, sendo os homens levados para a cadeia da cidade de Colina.

Compartilhe: