segunda-feira, 13 de julho de 2020

Notícias

Polícia Ambiental apreende pássaros e aplica multa de mais de 650 mil ao infrator

Policiais militares Ambientais de Barretos, após receberem denúncia sobre um indivíduo que estaria mantendo e comercializando aves nativas sem autorização no município de Guaraci, foram até aquela cidade, averiguar a mesma.
Quando lá chegaram, os policiais constataram que se tratava de uma chácara, com um imóvel em construção, e ali foram localizadas 186 aves da fauna silvestre, da espécie Canário da terra, que estavam sendo mantidas em cativeiro, sem autorização do órgão ambiental competente e em situação de maus-tratos, já que estavam em gaiolas e viveiros totalmente sujos e inapropriados.
Foi também observado que algumas aves possuíam lesões, e das 186 aves apreendidas, quatro possuíam anilhas de identificação do órgão ambiental, mas após conferência, detectou-se que as mesmas eram falsas.
Em buscas pelo sítio os policiais encontraram várias gaiolas, alçapões, transportadores, estilingue, rede de captura de animais, armadilhas e outras 33 anilhas falsas, sendo também verificado que o proprietário do imóvel é criador devidamente cadastrado no IBAMA, porém a conduta de manter aves silvestres em cativeiro sem anilhas, com anilhas falsas, bem como em situação de maus-tratos, caracteriza infração administrativa e crime.
Os policiais informaram que, em virtude dos materiais de caça localizados, é possível indicar que as aves não nasceram em cativeiro, mas foram capturadas na natureza, e eram “esquentadas” com anilhas falsas.
Diante dos fatos, o responsável recebeu um auto de infração ambiental no valor total de R$651.000,00 (Seiscentos e cinquenta e um mil reais) e responderá pelos crimes de manter aves em cativeiro e maus-tratos, com penas máxima de 1 ano de detenção, bem como pelo crime de falsificação de selo público, com pena máxima de 6 anos de reclusão.

Compartilhe: