domingo, 09 de agosto de 2020

Notícias

Operação “Éfodo” da Polícia Civil prendeu suspeitos de pertencerem a facção criminosa

A Polícia Civil de Barretos através das equipes da DIG/DISE, com apoio integral da Diretoria Departamental do DEINTER-3 (Ribeirão Preto), das Delegacias Seccionais a ela subordinadas e do DEINTER-4 (Bauru) e do DEINTER-10 (Araçatuba), com 100 policiais e 30 viaturas, desencadearam, na manhã de ontem, a operação “Éfodo”, destinada a prender diversos suspeitos de pertencerem a uma facção criminosa paulista que age dentro e fora dos presídios. A investigação teve início há cerca de um ano, a partir da prisão de uma das lideranças da organização criminosa.
Desde então, os investigadores passaram a analisar diversos documentos, os quais possibilitaram a identificação de outros membros suspeitos de pertencerem à organização criminosa, assim como de parte do grupo que se dedicava a compra, venda e distribuição de drogas na região de Barretos.
Com base nas informações levantadas pelos investigadores, o delegado Rafael Faria Domingos que presidiu os trabalhos solicitou à Justiça de Barretos e região, 36 mandados de busca e apreensão e 28 mandados de prisão contra os possíveis membros da citada facção criminosa. Os mandados foram deferidos pela Justiça, após concordância do Ministério Público, sendo cumpridos na manhã de ontem.
As diligências foram efetuadas nas cidades de Barretos, Guaíra, Jardinópolis e em presídios nas cidades de Ribeirão Preto, Serra Azul, Guariba, Taiúva, Balbinos, Reginópolis, Álvaro de Carvalho e Andradina.
Um dos membros suspeitos de integrarem a facção, preso hoje, tinha a função de levar as cartas, com reivindicações de criminosos presos, a uma das lideranças da organização criminosa na região.
O delegado Rafael Faria Domingos, informou na tarde de ontem, que a operação teve um saldo de 25 presos por mandados de prisão temporária, um preso por mandado de prisão temporária e flagrante de tráfico de drogas, um preso por flagrante de posse de arma raspada e tráfico de drogas, além de serem cumpridos os 36 mandados de busca. “Os investigados responderão pelos crimes de organização criminosa, tráfico de drogas e associação para o tráfico”, afirmou.

Compartilhe: