Ir para o conteúdo

segunda-feira, 04 de março de 2024

Notícias

Notas Gerais

O setor público terminou…

… o ano de 2023 com rombo de R$ 249 bilhões – o equivalente a 2,29% do PIB -, de acordo com dados divulgados nesta quarta-feira pelo Banco Central. Esse é o pior resultado das contas públicas desde 2020, ano da pandemia. O número reforça a dificuldade em se melhorar as contas públicas, já que a meta para 2024 é entregar déficit zero. A dívida bruta do Brasil encerrou 2023 com alta em dezembro. Como proporção do PIB, o indicador fechou dezembro em 74,3%, contra 73,8% no mês anterior e 71,7% no último mês de 2022. Já a dívida líquida foi a 60,8%, de 59,5% em novembro e 56,1% em dezembro de 2022.

 

O Indicador Antecedente…

… de Emprego do Brasil avançou em janeiro para o maior patamar em mais de um ano, indicando perspectivas mais otimistas no início de 2024, informou nesta quarta-feira (7) a Fundação Getulio Vargas (FGV). O IAEmp, que antecipa os rumos do mercado de trabalho no Brasil, avançou 0,9 ponto em janeiro, para 78,2 pontos, maior nível desde outubro de 2022 (79,8) e marcando a segunda alta consecutiva, depois de ter passado os quatro meses anteriores entre quedas e estabilidade. De acordo com Rodolpho Tobler, economista do FGV IBRE, o IAEmp inicia o ano de 2024 “com perspectivas mais otimistas para o mercado de trabalho”.

 

As vendas varejistas…

… no Brasil tiveram em dezembro a maior queda em um ano e bem acima da esperada, apesar da temporada de Natal, mas ainda assim fecharam 2023 em aceleração e com o maior aumento em quatro anos. Em dezembro, as vendas tiveram queda de 1,3% na comparação com o mês anterior, marcando o recuo mais acentuado desde dezembro de 2022 (-1,9%). A leitura divulgada nesta quarta-feira pelo IBGE ainda foi bem pior do que a expectativa em pesquisa da Reuters de retração de 0,2%. Na comparação com o mesmo mês do ano anterior, as vendas apresentaram alta de 1,3%, contra expectativa de avanço de 2,9%.

 

O saldo da aplicação…

… na caderneta de poupança voltou a cair com o registro de mais saques do que depósitos em janeiro deste ano. As saídas superaram as entradas em R$ 20,1 bilhões, de acordo com relatório divulgado pelo Banco Central (BC). No mês passado, foram aplicados R$ 332,3 bilhões, contra saques de R$ 352,4 bilhões. Os rendimentos creditados nas contas de poupança somaram R$ 5,2 bilhões. O resultado negativo do mês passado, entretanto, foi menor do que o verificado em janeiro de 2023, quando os brasileiros sacaram R$ 33,6 bilhões a mais do que depositaram na poupança.

 

O governo federal…

… anunciou, na noite desta terça-feira (6), o aumento na faixa de isenção do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) para dois salários mínimos. É o segundo aumento na isenção desde o início deste governo. O teto de isenção, que estava congelado em R$ 1.903,98 desde 2015, subiu em maio de 2023 para R$ 2.640,00 e agora vai para R$ 2.824,00. “A falta de atualização da tabela, ao longo de tantos anos, fez com que os brasileiros pagassem cada vez mais Imposto de Renda, retirando dinheiro das famílias”, afirmou o Ministério da Fazenda.

 

A reoneração da folha…

… de pagamento para 17 setores da economia deve sair da medida provisória (MP) editada no fim do ano passado e ser transferida para um projeto de lei com urgência constitucional. O acordo foi selado nesta terça-feira (6) após uma reunião de líderes da base aliada no Senado com o ministro da Fazenda, Fernando Haddad. Os demais pontos continuarão a tramitar normalmente no Congresso. No entanto, ainda não está decidido se o governo precisará editar uma nova MP revogando a atual ou se preservará o texto editado em dezembro, apenas retirando o trecho que prevê a reoneração gradual da folha a partir de abril.

 

As previsões do mercado…

… financeiro para os principais indicadores econômicos em 2024 ficaram estáveis, de acordo com a edição do Boletim Focus, divulgado nesta terça-feira (6), em Brasília. A pesquisa – realizada com economistas – é divulgada semanalmente pelo Banco Central (BC). Para este ano, a expectativa para o crescimento da economia permaneceu em 1,6%. Já para 2025, o Produto Interno Bruto (PIB – a soma dos bens e serviços produzidos no país – deve ficar em 2%. Para 2025 e 2026, o mercado financeiro também projeta expansão do PIB em 2%, para os dois anos.

 

O ministro-chefe da…

… Casa Civil, Rui Costa, afirmou nesta quarta-feira (7) que o governo cumprirá os acordos firmados com o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), a respeito do Orçamento de 2024. A declaração, feita em meio à tensão entre Lira e o governo do presidente Lula (PT), ocorreu durante evento em São Paulo. “Eu participei no fim do ano do diálogo direto com Lira, e o acordo que fizemos será cumprido, que foi incorporar as emendas de comissão no valor de R$ 11 bilhões. Este foi o acordo. O que foi colocado para além disso não faz parte do acordo”, disse Rui Costa.

Compartilhe: