sábado, 16 de janeiro de 2021

Notícias

Notas Gerais

ENEM

A juíza Marisa Claudia Gonçalves Cucio, da 12ª Vara Cível Federal de São Paulo, negou ontem (12) o adiamento do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020, cujas provas estão marcadas para 17 e 24 de janeiro. Na semana passada, a Defensoria Pública da União (DPU) havia entrado com recurso no Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF3) pedindo o adiamento do exame em razão dos riscos de contágio maior, diante do avanço nos números da pandemia de covid-19.

Fechamento Total

O presidente Jair Bolsonaro reiterou ontem (12) sua contrariedade ao fechamento total de comércios em função da pandemia. Durante cerimônia de comemoração dos 160 anos de fundação da Caixa – e da caderneta de poupança no Brasil –, Bolsonaro disse que não se pode falar em saúde sem emprego, e que vida e economia “andam de braços dados”. “Eu peço a Deus que ilumine governadores e prefeitos para que não fechem tudo. Essa não é a política correta. Vida e economia andam de braços dados.”, disse o presidente na cerimônia, que ocorreu no Palácio do Planalto.

Demissões Ford
O Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté e Região (Sindmetau) quer que a Ford reveja a decisão de fechar as fábricas no Brasil e mantenha os empregos. Segundo o presidente do Sindicato, Claudio Batista, os trabalhadores foram “pegos de surpresa” com a decisão anunciada na segunda (11). Além da planta de Taubaté, a Ford vai fechar a fábrica de Camaçari, na Bahia. A fábrica da Troller, em Horizonte (CE), vai encerrar as atividades até o fim deste ano. Serão mantidos, entretanto, a sede administrativa para a América do Sul em São Paulo, o Centro de Desenvolvimento de Produto na Bahia e o Campo de Provas em Tatuí (SP). A produção de veículos na região ficará concentrada na Argentina e no Uruguai.

Índice de Preços
O Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M) teve alta de 1,89% nos primeiros dez dias (decêndio) de janeiro, informou ontem (12), no Rio de Janeiro, o Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (Ibre/FGV). O IGP-M é usado para o reajuste de contratos de aluguel, e a divulgação de hoje é uma prévia da pesquisa mensal. Com o resultado prévio de janeiro, a taxa acumulada em 12 meses aumentou de 23,52% para 24,87%, já que o indicador de janeiro ficou acima do registrado no primeiro decêndio de dezembro: 1,28%. A pressão para elevar o IGP-M veio principalmente do Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), que aumentou puxado pelo preço do minério de ferro, que já acumula alta de 134,63% em 12 meses.

Compartilhe: