sábado, 16 de janeiro de 2021

Notícias

Notas Gerais

Acidente de Ônibus

Seis vítimas do acidente ocorrido nas proximidades de Taguaí, interior de São Paulo, na manhã da última quarta-feira (25), permanecem internadas em unidades de saúde da região. De acordo com o governo estadual, uma delas recebe cuidados no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu, outra está no Pronto Socorro de Avaré, duas encontram-se na Santa Casa de Avaré e duas na Santa Casa de Itaí. Ao todo, 41 pessoas morreram na colisão e 15 sobreviveram ao acidente, sendo que cinco já tiveram alta hospitalar. Quatro vítimas foram socorridas, mas acabaram morrendo a caminho do hospital, devido à gravidade dos ferimentos.

Consumo das Famílias
A Intenção de Consumo das Famílias (ICF), medida pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), cresceu 0,8% em novembro e alcançou 69,8 pontos – o maior patamar desde maio de 2020. Foi o terceiro aumento seguido do índice, após os efeitos negativos da crise provocada pela pandemia do novo coronavírus. Mesmo com as recentes altas, o indicador registrou o pior desempenho para um mês de novembro desde o início da série histórica, em janeiro de 2010. Além disso, no comparativo anual, houve recuo de 26,7% – a oitava retração consecutiva nesta base comparativa. A ICF está abaixo do nível de satisfação (100 pontos) desde abril de 2015.

Expectativa de Vida
A expectativa de vida dos homens passou de 72,8 anos em 2018 para 73,1 anos em 2019 e a das mulheres foi de 79,9 anos para 80,1 anos. Desde 1940, a esperança de vida do brasileiro aumentou em 31,1 anos. Uma pessoa nascida no Brasil em 2019 tinha expectativa de viver, em média, até os 76,6 anos. Essas são algumas informações das Tábuas Completas de Mortalidade para o Brasil, referentes a 2019, divulgadas ontem (26) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Cartilha Refugiados
A terceira edição da Cartilha de Informações Financeiras para Refugiados e Migrantes foi lançada ontem (26) em evento online. O documento é uma iniciativa do Banco Central (BC), do Ministério da Justiça e Segurança Pública, do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur) e da Organização Internacional para as Migrações (OIM). De acordo com o diretor de Relacionamento, Cidadania e Supervisão de Conduta do BC, Maurício Moura, muitos dos imigrantes e refugiados encontram-se em situação de vulnerabilidade financeira e acabam ainda encontrando dificuldades para abertura de contas e compreensão da moeda e das particularidades do sistema financeiro brasileiro.

Compartilhe: