quinta-feira, 26 de novembro de 2020

Notícias

“Mulheres estão mais confiantes em fazer denúncias, mas ainda enfrentam o ciclo da violência doméstica”, afirma delegada da DDM

Foi observado um aumento dos casos de violência contra a mulher, que são enquadrados na Lei Maria da Penha, registrados no Plantão Policial de Barretos, que atualmente atende os 11 municípios da área da Delegacia Seccional. Após o registro, os inquéritos, pedidos de protetivas e ocorrências são encaminhados para as DDMs, existentes nesta cidade, em Olímpia e Guaíra, ou delegacias dos municípios. Segundo a delegada da DDM Barretos, Denise Polizelli, o aumento dos registros representa que as mulheres estão mais confiantes em fazer as denúncias, em virtude de terem mais conhecimento dos seus direitos, quando são ameaçadas ou agredidas. “A Lei Maria da Penha alterou o curso da história das mulheres, dando mais confiança para reivindicar seus direitos”, afirmou Dra Denise.
Por outro lado, a delegada explicou que muitas vítimas voltam atrás e reatam com os agressores e não conseguem romper o ciclo da violência doméstica. “O ciclo da violência ocorre em três etapas: aumento da tensão, a violência, que pode ser agressão, ameaças ou ofensas verbais, e depois a “lua-de-mel”, com o arrependimento do agressor, que se desculpa, e a mulher aceita reatar o relacionamento”, afirmou a delegada.
Segundo a Dra. Denise, na retomada do relacionamento, o ciclo da violência doméstica vai se repetindo e se agravando a cada nova agressão podendo chegar até uma tentativa de feminicídio. “Somente a Polícia não vai resolver a questão da violência doméstica, pois além do crime, também envolve questões psicológicas, financeiras, direitos civis etc. A mulher tem outros órgãos que ela pode pedir ajudar, como o CRAM, que oferece apoio psicológico, e a Defensoria Pública, para as partilhas de bens e determinação de visitas e guardas”, orientou.
A DDM funciona na Rua Dezoito, 137, entre as Avenidas 29 e 31, no centro.

Compartilhe: