Ir para o conteúdo

segunda-feira, 04 de março de 2024

Notícias

Desacato e consumo de bebida alcoólica termina em ocorrência policial no bairro Alvorada

A Policia Militar foi acionada a comparecer até o bairro Alvorada para atendimento a uma ocorrência de perturbação do trabalho e do sossego alheio, e no local os policiais foram recebidos por uma mulher de 33 anos, que imediatamente diminuiu o volume do som e foi orientada pela equipe a manter o som a uma altura que não incomodasse os vizinhos, e então os policiais passaram a coletar os dados e proceder à devida elaboração.

Ocorre que neste momento foi percebido que havia algumas garrafas de bebidas alcoólicas (destiladas) espalhadas pela calçada e que havia no local, aproximadamente, 20 menores de idade, sendo apenas a mulher a maior de idade.

Diante da situação a mulher foi questionada se os menores estariam ingerindo bebidas alcoólicas e ela afirmou que ela é quem estaria bebendo e que uma das menores era sua filha e que ela estava “cheirosinha “, perguntando em seguida se o policial gostaria de cheirá-la. Neste momento o policial a indagou acerca da idade de sua filha e a mulher respondeu que a menina tinha 13 anos, então a mulher foi questionada se ela estaria oferecendo sua filha, menor de idade, para um policial.

Neste momento a mulher se irritou e passou a ofender e a proferir palavras de baixo calão, sendo solicitado o seu documento de identidade, mas ela se recusou a entregar.

A mulher foi informada que o Conselho Tutelar seria acionado e então ela adentrou ao quintal de sua residência, fechou o portão e disse que “ninguém iria sair dali”, sendo necessário o uso da força para contê-la e conduzi-la ao plantão policial, tendo algumas pessoas que lá estavam, tentado impedir que a autora fosse conduzida até a delegacia.

Após os policiais conseguirem impedir a manifestação de terceiros em seus trabalhos, foi solicitado reforço e a mulher foi levada para a delegacia, onde em relato ela negou que tivesse “oferecido” sua filha e sim solicitado que cheirassem a boca dela para comprovar que ela não havia consumido bebida alcoólica.

Foi elaborado um Termo Circunstanciado, sendo o caso encaminhado ao setor competente.

Compartilhe: