sexta-feira, 27 de novembro de 2020

Notícias

Com período de altos índices de radiação ultravioleta, especialista alerta para prevenção do câncer de pele

Céu claro, sem nuvens e muito calor. Mesmo no inverno, a região tem passado por dias de temperatura elevada e alta incidência de raios ultravioleta – que é o principal fator de risco para o desenvolvimento de câncer de pele. Segundo o INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), na segunda semana do mês de setembro, a região de Ribeirão Preto terá a variação no índice UV entre 8 e 10 – considerados “Muito Altos” – na escala que é medida proporcionalmente à intensidade de radiação UV que chega até a superfície da Terra e pode causar queimaduras na pele. “A radiação ultravioleta do sol – conhecida como raio UV – é a principal vilã no câncer de pele. A exposição por longos períodos de tempo durante o dia sem nenhuma proteção é considerada um fator de risco preocupante em qualquer época do ano”, afirma Diocésio Andrade, oncologista.
Os últimos dados divulgados pelo Instituto Nacional do Câncer (INCA) apontam que, para o triênio (2020 – 2022) são estimados mais de 185 mil novos casos somando os dois tipos: melanoma e não-melanoma. O mais comum deles, o Não-Melanoma, é responsável pelo maior número de casos e é o tipo mais frequente no Brasil. Cerca de 30% deles são tumores malignos, porém, possui altos índices de cura quando detectados precocemente. Já o Melanoma é o tipo mais grave da doença – por sua grande possibilidade de metástase – podendo aparecer em qualquer parte do corpo e representando 3% dos tipos malignos.
O oncologista destaca que a exposição prolongada e repetida ao sol, é um risco. Para a prevenção é essencial usar o protetor solar diariamente, idealmente fator 30. Se for a alguma área de lazer, piscina ou praia é importante à reaplicação a cada duas horas – especialmente em bebês acima de 6 meses e crianças e em contato com a água. Antes dos 6 meses de idade, os bebês devem ser mantidos fora do sol usando roupas, chapéus e toda proteção possível. Também é importante evitar a exposição em períodos críticos como entre 10h e 16h mesmo nesta época do ano.

Compartilhe: