quarta-feira, 08 de julho de 2020

Notícias

Câmeras flagram indivíduo praticando roubo em drogaria

Os Militares, sargento Leandro e cabo Donizete, informaram na delegacia que eles foram acionados a comparecerem até a uma drogaria, situada a Rua Raul Furquim, em Bebedouro, onde teria acabado de ocorrer um crime de roubo.
Chegando ao local, os policiais apuraram que o vigilante C.P.R., 50 anos, se encontrava fazendo a segurança do local quando foi chamado na via pública por um rapaz que recolhia reciclagem, e ali eles começaram a conversar.
Ocorre que, enquanto isso, outro indivíduo teria se aproveitado da distração do vigilante, adentrando a farmácia e, fazendo menção de estar com uma arma de fogo na cintura, anunciou voz de assalto ao balconista A.F.N., 62 anos, que se encontrava nos fundos da drogaria.
Uma funcionária, que se encontrava no caixa, também acabou sendo rendida e, mediante grave ameaça, acabou entregando ao assaltante toda a quantia que havia no caixa, (R$810.00), tendo ele fugido logo em seguida, enquanto o vigilante permanecia na via pública conversando com o catador de reciclagem.
Os policiais chegaram e após analisarem as imagens das câmeras de monitoramento da drogaria, eles constataram que o assaltante trajava moletom nas cores preto e amarelo, calça preta e chinelo branco, sendo ele magro, de cor parda, cabelo curto e não usava capuz.
Ainda de acordo com as imagens, os policiais perceberam que o catador de reciclagem, que durante o assalto permaneceu conversando com o vigilante, trajava bermuda, camiseta azul (Capitão América) e chinelo de dedo, e enquanto o vigilante estava de costas para a drogaria, ele estava de frente para o estabelecimento, sendo perfeitamente possível que ele estivesse visualizando todo o roubo, sem nada alertar ao vigilante, o que levantou a suspeita de que ele estivesse participação no assalto distraindo o vigilante enquanto o crime era praticado.
Agentes da Guarda Municipal também compareceram ao estabelecimento e analisaram as imagens, sendo então reconhecido o assaltante como sendo o G.S.F., 29 anos, lavrador, já conhecido dos meios policiais, e como os policiais e guardas, já sabiam o endereço dele, todos para lá se dirigiram, porém, ele não se encontrava pelo local.
Os policiais exibiram as imagens do roubo para a mãe do investigado, e ela, prontamente, reconheceu o filho como sendo o autor do crime, vindo, inclusive, a reconhecer suas roupas.
Logo depois, chegou a informação de que o rapaz que presta serviço de entregas na drogaria, teria relatado que momentos depois do roubo ele havia visto o catador de reciclagem, identificado como R.H.O.S., descendo a rua na companhia de um outro indivíduo, muito provavelmente o autor do roubo, sendo ele localizada e levado para a delegacia.
Em seu relato o vigilante disse que não desconfiou da participação do R.H.O.S., porque ele passa na drogaria diariamente para conversar e se comportou normalmente, como nos outros dias, por isso, não acreditava que ele estivesse envolvido.
Em seu relato o R.H.O.S., admitiu ter parado em frente a farmácia para conversar com o vigilante, como de costume, mas que durante a conversa não notou nada de anormal e como não percebeu roubo algum, continuou normalmente a conversa, até que foi embora, deixando a drogaria empurrando seu carrinho e com o seu cachorro, e que durante o trajeto não conversou com ninguém na via pública, negando envolvimento com o crime.
Diante da situação, foi determinado que o caso fosse registrado e encaminhado ao setor de investigação, sendo o investigado liberado.

Compartilhe: