quinta-feira, 22 de agosto de 2019

Notícias

Vigilante é preso com armas em fazenda na cidade de Jaborandi

O vigilante J.I.P.F., 49 anos, morador na Colônia Fazenda Santa Genoveva, foi preso pelos Policiais Militares Ambientais, cabo Dos Reis e soldado J. Silva, pelo crime de posse irregular de arma de fogo.
Segundo consta, os policiais receberam informação anônima de que estaria ocorrendo a prática da caça com uso de armas de fogo na Fazenda Genoveva, no município de Jaborandi.
Diante da denúncia os policiais foram até o local e quando lá chegaram, mantiveram contato com o indiciado J.I.P.F., funcionário da fazenda, e ao ser indagado sobre a prática de caça ilegal, ele negou. Ao ser perguntando sobre a existência de arma, ele afirmou que possuía uma arma em sua casa, autorizando a entrada dos policiais no imóvel, ocasião em que no quarto foi encontrada uma espingarda Boito, calibre 32, além de uma bolsa de couros com diversos cartuchos intactos e deflagrados, calibres 12, 28 e 32.
Indagado sobre o registro da arma, o indiciado afirmou que já registrou a arma anos atrás, pois, segundo ele, possui a arma há cerca de 15 anos, porém, não apresentou nenhum registro ou outro documento referente a este armamento.
Perguntado sobre a existência de outras armas em sua casa, o vigilante afirmou que havia um revólver calibre 38 que pertence à fazenda, sendo que esta arma lhe foi entregue para realizar os serviços de segurança no período noturno.
Em seguida o indiciado levou os policiais até o armário onde a arma estava guardada e que somente ele possui as chaves, e após a abertura deste armário os policiais encontraram um revólver calibre 38, marca Taurus, carregado, além de 89 cartuchos calibre 38, sendo oito intactos e 81 deflagrados.
Perguntado sobre o registro do revólver, o indiciado disse que devia estar na fazenda, pois, segundo ele, o dono da fazenda lhe entregou apenas as chaves e a arma.
Neste momento chegou ao local o senhor J.M.C.D., que é filho do proprietário e administrador da fazenda, e ele confirmou que o revólver calibre 38 pertence a fazenda e havia sido entregue ao indiciado para que ele realizasse os trabalhos de segurança, porém, o registro da arma não estaria naquele local, e provavelmente, estaria no escritório, em Barretos, não sendo possível ir buscá-la naquele momento.
Diante das circunstâncias, foi dada voz de prisão ao vigilante, sendo ele conduzido até o Plantão Policial de Barretos, onde o caso foi registrado pelo escrivão Marcos Aurélio, tendo o delegado, Dr. Cesar Aparecido Martins, ratificado a prisão e arbitrado fiança no valor de R$1.000.00, a qual foi feita, sendo o indiciado colocado em liberdade.
As armas e munições foram devidamente apreendidas.

Compartilhe: