quarta-feira, 16 de outubro de 2019

Notícias

Procurado pela Justiça é preso traficando drogas no Conjunto Newton Siqueira Sopa

A Equipe de Força Tática, formada pelo sargento Roberto e cabos Mattos e Domingues, com o apoio do Tático 34, formada pelos cabos Rivas e Santana e soldado Vieira, prenderam pelo crime de tráfico de drogas o pintor de paredes R.E.S., 27 anos, morador no bairro Bom Jesus.
Segundo consta, após receberem denúncia de que no Bloco 19 do Conjunto Newton Siqueira Sopa, havia um indivíduo praticando o tráfico de drogas, sendo ele conhecido como “Pipoca” e, foi feita uma operação visando capturá-lo, sendo ainda informado pelo denunciante que “Pipoca” estava na condição de “Procurado pela Justiça”.
Os policiais se dirigiram ao local onde ele estava, porém, quando os Militares chegaram ao Bloco 13, eles avistaram um indivíduo que, ao perceber a presença dos policiais, subiu as escadas do prédio rapidamente, sendo no pátio deste bloco abordado o indivíduo identificado como R.H.S.S., e logo depois chegou sua mãe e sua irmã.
Os policiais indagaram o rapaz se ele conhecia alguém com apelido de “Pipoca”, e então ele respondeu que era seu cunhado, marido da sua irmã, e ao ser novamente indagado, desta vez sobre quem havia subido as escadas correndo e mãe do rapaz disse que se tratava de seu outro filho, (o indiciado R.E.S.), e a moça disse que morava com seu irmão e tinha as chaves do apartamento, e então os policiais solicitaram que elas os conduzissem até o imóvel, sendo isso feito também com a companhia do rapaz abordado e a mãe dele.
Assim que os policiais adentraram ao apartamento o indiciado visualizou a equipe e correu até a cozinha, quando então jogou algo pela janela.
Ao ser abordado o indiciado foi indagado sobre o que ele teria dispensado, e no primeiro momento ele negou dizendo que não jogou nada fora, mas ao observarem pela janela os policiais visualizaram outros policiais recolhendo uma sacolinha plástica branca.
Depois disso o indiciado assumiu que teria dispensado drogas, sendo 44 pinos com cocaína e 30 porções de maconha e serviriam para venda.
Em busca pessoal junto ao indiciado os policiais encontraram a quantia de R$62.00 em dinheiro e um molho de chaves, tendo ele confessado que o dinheiro era proveniente da venda de drogas e sobre as chaves, ele respondeu que uma delas era do apartamento e a outra a caixa de gás, confessando haver drogas e apetrechos utilizados em seu manuseio, na caixa de gás.
Neste local, cuja porta estava trancada com cadeado, os policiais encontraram depois de abri-la, uma mochila contendo mais porções de maconha, pedras de crack e cocaína, aproximadamente, 300 pinos vazios, uma colher e um canivete com resquícios de drogas, uma pistola de brinquedo e um recipiente cheio de bolinha pequena, sendo isso a munição para a pistola de brinquedo.
Sobre quem pertencia toda aquele material o indiciado afirmou que tudo pertencia ao “Pipoca”, porém, ele vendia entorpecentes para sustentar o seu vício, afirmando ainda que vendia a porção de maconha e o pino com cocaína ao valor de R$10.00 cada e o crack ele vendia por lasca no tamanho que o comprador pedisse.
Em pesquisa realizada junto ao sistema o indiciado também se encontrava na condição de “Procurado pela Justiça”, com Mandado de Prisão (Pensão).
Na delegacia, após o registro do escrivão Marcos Aurélio, foi determinado pelo delegado, Dr. Edison Winning, que o indiciado fosse recolhido em uma cela da cadeia de Barretos, para posterior encaminhamento ao Fórum local em Audiência de Custódia.

Compartilhe: