segunda-feira, 22 de outubro de 2018

Notícias

NOTAS GERAIS

O candidato do PT à Presidência…

… da República, Fernando Haddad (PT), destacou ontem (11) que o seu adversário Jair Bolsonaro (PSL) sempre foi crítico do programa de transferência de renda Bolsa Família. “Se tem alguém que criticou o Bolsa Família e, de certa maneira, humilhou os seus beneficiários, ao longo dos últimos 10 anos, foi o meu adversário. Não é fake news, basta ver na internet as frases que ele pronuncia sobre nordestinos que recebem o Bolsa Família”, disse Haddad, lembrando que seu adversário se referiu de forma “muito agressiva” aos beneficiários do programa.

Utilizando as redes sociais, o…

… candidato à Presidência da República pelo PSL, Jair Bolsonaro, rebateu as críticas sobre sua ausência e suposta fuga dos debates com o candidato do PT, Fernando Haddad. Segundo ele, após um novo exame a que será submetido no dia 18, deverá ser liberado pelos médicos para os debates e demais atividades de campanha. “[Para] quem acha que estou fugindo de debates, estou cuidando da minha saúde. Não adianta eu debater, ter uma recaída e voltar para o hospital”, disse o candidato, que informou estar disposto a participar de pelo menos dois debates.

O Instituto Brasileiro de…

… Geografia e Estatística (IBGE) divulgou ontem (11) uma nova estimativa de safra de cereais, leguminosas e oleaginosas para 2018. De acordo com o Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA) realizado em setembro, a produção deste ano deve ser 6% inferior à do ano passado. Com isso, espera-se que o ano feche com uma safra de 226,2 milhões de toneladas desses produtos. A estimativa é um pouco melhor do que a divulgada em agosto, que previa uma queda de 6,2% em relação ao ano passado. Entre as três principais lavouras (que responderão por 92,8% da produção de grãos), apenas a soja deverá fechar o ano com alta (2%). São esperadas quedas de 18,6% para o milho e de 5,7% para o arroz.

A Confederação Nacional daIndústria (CNI)…

… reduziu a projeção para o crescimento da economia este ano. Segundo o Informe Conjuntural do terceiro trimestre, divulgado ontem (11), em Brasília, a previsão passou 1,6% estimado em junho para 1,3%. Em abril, a estimativa era 2,6%. A estimativa da CNI é que o PIB (Produto Interno Bruto – soma de todas as riquezas produzidas no país) industrial tenha expansão de 1,3%, inferior a 1,8% previsto em junho. O consumo das famílias aumentará 1,9% e a taxa de desemprego continuará alta, fechando o ano com média anual de 12,2% da população economicamente ativa. As novas previsões indicam que os investimentos aumentarão 2,2%.

Uma candidatura coletiva foi…

… eleita pela primeira vez no estado de São Paulo. A Bancada Ativista, formada por nove ativistas políticos de diversas áreas, recebeu 149.844 votos e foi a 10ª candidatura mais votada no estado no pleito para a Assembleia Legislativa. É a primeira vez que uma candidatura coletiva vence as eleições em um grande colégio eleitoral, após experiência similar obter sucesso elegendo, em 2016, um mandato coletivo na Câmara dos Vereadores em Alto Paraíso (GO). Na cidade goiana, o grupo é composto por cinco pessoas. A Bancada Ativista, representada nas urnas pela jornalista Mônica Seixas (PSOL), tem integrantes de diferentes correntes políticas, como filiados aos partidos Rede e PSOL, e também pessoas sem ligação formal com nenhuma legenda.

O Índice de Preços ao Consumidor…

… da Terceira Idade (IPC-3i), que mede a variação de preços da cesta de consumo de pessoas com mais de 60 anos de idade, registrou no país inflação de 0,69% no terceiro trimestre deste ano, inferior aos 2,3% do segundo trimestre. Segundo a Fundação Getulio Vargas (FGV), o IPC-3i é de 5,15% em 12 meses. A principal contribuição para a queda da taxa do segundo para o terceiro trimestre deste ano partiu do grupo alimentação, que passou de 2,50% para -1,57%. O item que mais influenciou o comportamento desta classe de despesa foi composto por hortaliças e legumes, com queda de preços de 31,93% no terceiro trimestre.

Pesquisa da Federação do Comércio…

… de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) aponta que 20,6% das famílias paulistanas não conseguiram quitar suas dívidas no mês de setembro, registrando a terceira alta consecutiva de famílias inadimplentes. De acordo com a entidade, o crescimento alcança o maior patamar desde maio de 2012, totalizando quase 804 mil famílias. A análise indica que a proporção de famílias que têm dívidas também cresceu, passando de 53,6% em agosto para 54,5% no mês de setembro. A FecomercioSP registra que hoje existem 2,13 milhões de famílias na capital paulista com algum tipo de dívida.

Compartilhe: